Why, Zellweger?

Não sou muito adepta de trazer para o meu blog, coisas que não me dizem respeito a mim.
Gosto que este seja um espaço meu, com os meus sentimentos, as minhas vivências, as minhas neuras, as minhas alegrias, os meus eu que trago comigo a cada hora e a cada minuto.

Abro no entanto algumas excepçoes. Para casos em que quero, ou acho que devo, por uma ou outra razão, dar a minha opinião.
Estes casos são normalmente mediáticos, e por isso não fosse eu totalmente adicta à indústria da comunicação, gosto de os “dissecar”.

Ora bem.. Renee Zellweger, actriz, com idade a rondar os quarenta e pouco, desde sempre, ou por força de a fazerem acreditar que, se achou muito aquém do que considerava os padrões de beleza em vigor..alterações constantes no peso, aparições que denotavam claramente instabilidade emocional e/ou baixa auto estima..

Vai daí e resolve fazer plásticas ou o que seja, que não faço ideia do que tenha sido…
Nada contra, sou apologista das cirurgias plásticas e estéticas, já as fiz e farei quantas vezes achar (EU) necessário.
Portanto nada contra a decisão. O que aqui me “causa espécie” é se esta alteração de feições foi previamente indicada, foi até pretendida, ou se foi resultado de um puro “azar” decorrente da cirurgia em si.
É que (atenção) não considero que tenha ficado mal, apenas acho que é uma outra pessoa que aqui está, com algumas semelhanças é certo mas ainda assim uma nova cara assente num novo corpo totalmente (re)desenhado.

Se ela está feliz como afirma? Perfeito! Nada a declarar.Mas se cada vez que se olha ao espelho tenta encontar uma réstia do que foi para se auto reconhecer, então é menos bom..

Somos tão especiais. E nem o sabemos ás vezes!

Boa Tarde!

renee-zellweger-plastic-surgery-experts-say-lead antes-e-depois-renee-zellweger-1413899133557_615x500

Pure Love…

Mais uma noite em que adormeces com as minhas festinhas..
Mais uma de entre tantas..que este é um ritual que não se perderá custe o que custar..
Este é o nosso pequeno momento, onde nos pacificamos, onde nos reencontramos, onde por magia um cordão invisível te liga a mim novamente..

Gosto muito deste pequeno estar que é tão grande e tanto.
Não tenho hoje a mais pequena dúvida, que a minha vida és TU.

Boa noite.

Miudinha. Constante.

Há quem diga que tanto um dia de chuva como um dia de sol tem o seu encanto. Acho que Concordo.

Gosto destes dias de chuva miudinha. Constante. Que engrossa com a chegada da noite. De estar em casa, em silêncio, com os meus pensamentos e as minhas vontades. Gosto de estar embrulhadinha na manta e olhar lá para fora…ver as gotas a escorrer pelo acrílico da varanda, ouvir os pingos na rua (só os consigo ouvir porque estou em silêncio!). Nestes dias nem a smooth oiço…é silêncio o que quero. Totalmente.

Sei que ainda tenho que sair, que me vou molhar, que o meu pequenito deve estar todo molhado e portanto precisa de mim, para traze-lo para o quentinho, dar-lhe um banho e juntos fazermos os trabalhos que teimam em não se acabar..

Mas enquanto não vou, estou aqui. Pensei acender uma vela (que tamanho é a solidão de uma pessoa quando as velas acesas surgem como companhia?!?!) mas também não acendi..

Deixo-me estar por aqui…
Comi um quadrado de toblerone, assumo portanto a mea culpa..e bebi um café…nem sempre, nem nunca é uma máxima que se enquadra..
Tenho meia hora para ronhar..

Até já…