Bom dia, fim de semana

Sábado. Fim de uma parte das férias. Acabo esta jornada com zero banhos de mar. Este ano ainda só tomei um ou dois banhos no mar no tempo em que apanhei água quente na minha praia de eleição para onde me desloco muitos kms em busca daquele “luxo”. Depois a água gelou de uma tal maneira que é impossível. Isto é geral. Não mandamos na natureza. Nada podemos fazer.

Bom dia para esse lado

**

Advertisements

Friday.

Sou pessoa de mesmo em férias acordar, todos os dias, pelas 6 e tal da manhã, fazendo um esforço para dormir mais porque sei que preciso. Quando analiso os dados da pulseira que me conta os passos e as actividades, demoro-me sempre mais na análise do sono e é muito raro o dia em que tenho mais do que 2 horas de sono profundo. As minhas noites são sempre agitadas, de certeza que tenho sonhos menos bons e isso reflecte-se no meu padrão de sono.

Acordo mesmo cansada, estou longe de ter um sono reparador (mesmo em férias) e portanto para mim, cujo sono e dormir é das coisas que mais gosto, isto é mau.

Parece que o Verão chegou ontem e queria mesmo ver se dava uns mergulhos no mar, que honestamente, mal me estreei.

Bom dia para esse lado.

**

Lazy day.

Dia 15 de Agosto para mim cheira-me sempre a fim de férias, a nortada, a marés vivas.. Este ano, com as alterações climáticas, do planeta, do clima, e das estações no geral, se calhar o 15 de Agosto marcará o começo do Verão que, cheira-me, chegará lá para Setembro.

Hoje é feriado mas nem se vai notar. Daqui a alguns dias o meu tablet começa de novo no activo.. Estava no outro dia a lembrar-me das passwords do tablet, de entrada no ginásio..Parece que não vou lá há anos..

Bom dia para esse lado

**

14.

Quando o pessoal que dá o litro agora no Verão na restauração, se esquece de mudar o dia da semana..

**

Do que não depende de ti e do que nada te acrescenta..

Já aqui escrevi sobre a praia.

Eu adoro praia. Adoro tomar banho no mar, não me faz impressão nenhuma a areia, sou capaz de estar horas a apanhar sol (desde que tenha a cabeça e o livro à sombra).

Gosto da forma despreocupada que se vive na praia. Do sermos todos iguais, quase como viemos ao mundo. Gosto da mistura de classes sociais e de como se percebe que a beleza e a riqueza não andam de mãos dadas, porque Deus quando distribui a beleza não olha a contas bancárias. Podemos ver sinais exteriores de riqueza na praia mas isso é apenas parvo e muito raro.

Por exemplo na Comporta, no Carvalhal os adultos tratam as crianças por você e vice versa. A mim não me choca que uma criança trate os pais por você porque sempre assim tratei os meus, mas o inverso já me faz impressão. Nestas praias, tal como em Tróia, na praia do Pego, em Melides há uma série que se considera “de bem” que teima em ser de uma imposturice do pior. As crianças, as tais Caetanas, Carlotas, Bernardos vendem colares e pulseiras à entrada da praias. Tudo imensamente beto, porque sei lá é chique e dá para fazer uns trocos. Nunca lá comprei nada, até poderia ajudar as crianças tadinhas, mas é ouvir as mães..”Manel, vá lá, tem que ser persuasivo com as pessoas, senão não se safa”..e aquilo mete-me assim um bocado de impressão.

Na praia todos, ricos e pobres, mostram de igual modo as suas fragilidades. Todos têm de igual modo aquele bocadinho de banha que nem o Dr.Tallon nem a dieta da Roquete foram capazes de aniquilar, os fungos nas unhas, os cabelos desgrenhados pelo sal das águas, ali assim ao natural sem brushing ou afins, aquelas fragilidades que as roupas de grife escondem mas que na praia, meus amigos, ficam a descoberto..

Na praia não há dinheiro, mesmo que uns fiquem em espreguiçadeiras e outros na areia dura. Mesmo que uns levem até a feijoada na marmita e outros se deliciem com um cocktail do bar de praia..

No estacionamento é que talvez comece a diferença. O Sr Zé do Fiat Punto calhou a estacionar ao lado do Salgado que tem um Porsche. Lá na praia não se percebe quem é quem, mas senhores, aqui no estacionamento é onde começa a vida e aqui os cavalos começam a fazer a diferença..

É tudo mais fácil no areal.. lá onde o Zé e o Salgado são iguais, compram as bolas de Berlim ao mesmo senhor e queixam-se ambos da água gelada.

A água gelada, o vento, as algas, não dependem de ti ou de quem quer que seja. Não há dinheiro que mexa na natureza e isso é tão, mas tão bom.

Bom dia para esse lado

**

Counting..

Tenho vivido um dia de cada vez em contagem decrescente..Não tenho vindo aqui porque, honestamente, acho que por vezes é doloroso de mais deixar este marco de angústia nas palavras. Não é, não seria assim, que gostaria de me recordar tempos mais tarde.

A verdade é que os meus dias são forrados de angústia mesmo quando tento pôr um sorriso na cara. É como se cada dia fosse agora uma vitória. E essas vitórias têm que ser, também, celebradas, embora tenha que me forçar a isso.

Praticamente não tomei banhos de mar porque a água está gélida, o vento está de arrepiar, o mar está assustador, e o Verão está mascarado de uma estação que ainda nem percebi. Vou tentar que a minha pele mude de cor e vou inspirar toda a energia que esta estação me possa oferecer porque ainda vou, e muito, precisar dela.

Bom dia para esse lado.

**

Chuva.

Nunca ouvi este provérbio, mas neste momento percebo que temos mesmo que aceitar a chuva porque é uma realidade… Não diria que a apanhe com gosto, prefiro ficar aqui a ler e nem a apanhar..

Quem esteja a trabalhar nem tem muito como se importar, o tempo está uma bodega mesmo..

Bom dia para esse lado.

**