Caso Meco

 Caso Meco

Não tenho estado no meu melhor.
Não tenho tido grandes capacidades, nem vontade para nada, mas se há algo que não morreu em mim é a minha capacidade de pensamento, de indignação, de reflexão e de análise.

Posso não comentar certos assuntos com ninguem, que nesta fase da minha vida é muito certo não ter a oportunidade de debater o que quer que seja com quem quer que seja, mas faço para mim, internamente e comigo própria, uma análise daquilo que considero verdadeiramente importante.

E lá está onde entra o caso Meco nisto tudo.
Sou sensível a acontecimentos dramáticos, sensacionalistas, de grandes dimensões, que suscitem curiosidade, que despertem atenção.
Sou de Comunicação. E ainda que de facto nunca tenha verdadeiramente trabalhado na área, esse bichinho nunca me largou. E quando um assunto me suscita interesse, eu so páro quando sei mais e mais e mais.

Com o caso Meco foi o que aconteceu e está a acontecer.
Ainda não me pronuncei quase sobre ele. Mas todos, mesmo todos os dias me interrogo sobre o que terá acontecido naquela fatídica noite.
Resumidamente, 7 estudantes universitários são vistos a caminhar em direccção à praia, durante a noite. Cerca das 2 da manhã é dado o alerta por um dos jovens, afirmando que os amigos teriam sido levados pelas ondas.. Maior tragédia não poderia vir…morreram todos, tendo o primeiro sido resgatado na manhã desse mesmo dia, mas o restantes apenas aparecendo já completamente desfigurados no decorrer da semana seguinte…

Toda uma historia inacreditável, inanarrável..que não consigo perceber.

Sou de perto do mar. Desde pequenina, desde Sempre. Sempre tive muito respeito pelo mar da minha terra que não é para tenrrinhos e sempre me habituei a saber lidar com ele.
Isso não me impediu, nunca, de ter tido muitas conversas com amigas junto do mar, em pleno inverno.

Há ondas e ondas bem sei..mas uma onda levar 6 pessoas? Adultas? e somente uma se safar e por coincidência ser a que exercia o cargo dominante e a única que levava telemovel?
Mas não haverão aqui pormenores mal contados? Peças de puzzle desaparecidas que sem elas não dá para ver o desenho???!!!
E o único sobrevivente, hoje, passado mais de um mês da tragédia, ainda não tenha sido capaz de falar??
Se eu tivesse perdido amigos nestas circunstâncias, o que gostaria mais de fazer, sabendo a priori que tinha a consciência tranquila, era falar, chorar, desabafar, chorar muito até gritar, ficar maluca se fosse preciso mas deitar cá para fora..tudo, absolutamente tudo.

Não é o que está a acontecer. O sobrevivente alega amnésia selectiva…Não sei o que isso quererá dizer (Lembra-se de umas coisas e não de outras??!!) mas sei que está, para a opinião publica, a ficar muito mal no retrato.

Meu caro amigo, as ondas não te levaram naquele dia, mas estás a deixar-te enterrar..e se calhar era melhor repensar…Morrer soterrado, com palavras que não queres dizer e ansiedade, não é certamente, a melhor opção.

Repensar. Talvez fosse melhor!

Advertisements

Estava aqui a reler os meus ultimos posts..
De facto, a saude não tem parado em mim. Não serao coisas graves, espero eu..se Deus quiser, mas que me tem deixado de rastos isso sem duvida..
Penso agora apenas, em ficar melhor.

It’s snowing

It's snowing

Neva com bastante intensidade.
Muito, muito mesmo.
Aquele muito que até incomoda. Que chateia. Que aborrece.
Mesmo bom para estar em casa. A ler.
Sem correr riscos. De ter acidentes, de dar quedas na rua.

:(

Não tenho conseguido escrever.

Tive uma queda aparatosa no gelo quando tentava patinar.

Tinha, desde pequena, o sonho de conseguir andar de patins. Mas duvido que algum dia o consiga realizar. É muito complicado, muito complicado mesmo.

E não se trata desta vez de falta de vontade, porque vontade tenho muita. Não tenho é jeito. Nenhum. E o assumir dessa falta de jeito é uma enome frustração.

Faz hoje uma semana que caí.

Estava na berma com o meu filho, como sempre. Que ele não tem medo nenhum, e até tem jeito ao contrário de mim.

Tinha acabado de lhe dizer qu estava muito contente por ainda não ter caído. No minuto a seguir, do nada, quando nada o fazia esperar, caí..literalmente redonda no chão.

Foi uma queda muito aparatosa, muito grave. Durante uns 4 minutos não senti as pernas. Assustei-me mesmo muito. Rebolei no gelo, tal era a intensidade das dores. Também me magoei na mão direita..razão pela qual não me consegui descalçar, nem voltar as calçar o calçado da rua.

Percebi de imediato que não era nada de muito grave, no sentido em que o coxis certamente não estaria partido, senão não teria caminhado até ao carro.

Mas fiquei muito magoada.. Fiquei de cama durante 2 dias e sempre com ritmo diminuido durante toda a semana. Nos dois primeiros dias a mão recuperou na totalidade. Do coxis estou mal.

Passou uma semana e tenho imensas dores. E estar sentada numa cadeira a escrever é muito doloroso. Essa a razão porque ainda não tinha vindo…

Escrever para mim acerca disto que parece tão banal, não é fácil.

Tinha esse sonho de infância..e percebo que não o consigo realizar.

Nunca tive uns patins e sempre olhei maravilhada para quem conseguia equilibrar-se nuns patins e “deslizar”..

Se calhar não vou conseguir.

Faz hoje oito dias chorei que nem uma madalena.

Podem pensar que era por causa das dores. Sei, que bem lá no fundo, era por me ter morrido um sonho… Porque a dor fisica passa, mas o matar de um sonho..continua a doer muito.

Bom dia.

Down..

De novo a analgésicos.. 😦

Gostaria de estar melhor, e de facto senti-me melhor.

Ontem caí na rua, na neve.. Há sempre uma primeira vez para tudo. Levantei-me rápido mas é claro que já não consegui tirar a fotografia que tinha planeado tirar..fiquei dorida, machucada, foi um grande trambolhão..

Ainda assim fiz o meu exercício em casa, que já há tanto tempo nao fazia por não me sentir capaz.

Hoje estou de rastos..como se recebesse a seguinte mensagem…”Ouve lá..então sentes um dia melhorias e desatas a fazer exercícios que nem uma doida??!!..Calma, que lá por estares melhor..ainda não te julgues capaz de tanto..”

E resultado, já cá estou hoje toda dorida..

Os analgésicos não são por causa destas dores…

Acordei as 6 da manhã para ir dar um safanão ao pesadelo que incomodava o meu filho..e nesse momento senti de imediato.. tinha ali enxaqueca para um dia…

Sim que eu sinto logo, se é das que passam, se é das que ameaçam mas não se instalam..ou se é daquelas que parece que é mas não é!..

Esta era das manhosas..ainda não passou..e já lá vao uma duzia de horas.. 😦

Tenho este karma..e tenho que aprender a viver com ele..

Gostaria de hoje, estar bem…mas não estou.

Como em tantas outras horas, como em tantos outros dias..