Saudades…

Mãos.
Para Sempre Mãos.
Today and Always.

Advertisements

<3

Estás aqui comigo.
A fazer-me festinhas. E a quereres que te faça também.
Há muito tempo que não te escrevo.
Todos os dias me ocorre escrever-te mas falamos todos os dias. Rimos, brincamos e tambem discutimos. Faz parte.

Todos os dias a esta hora fazemos as pazes. Pedes-me “fofinhas” e eu dou-te.
Tenho a minha vida toda para te dar fofinhas. Assim as queiras. Como agora.

Boa noite.

Malaysia Airlines :(

Tenho andado há algum tempo para escrever sobre este assunto.

Demorei, não porque não quissesse escrever, ou o interesse por este assunto tivesse desaparecido mas sim porque tinha esperança.

Sempre tive esperança de que, depois de solucionado, pela positiva, o mistério, pudesse aqui fazer um relato. Diferente. Curioso, mas aliviado. Um discurso que, infelizmente poderei não vir a ter.

Basicamente, trata-se de uma avião desaparecido. Mas não um avião com 1 ou 2 pessoas ( a importância de uma pessoa não tem valor mensurável neste Mundo, aquela pessoa é o Mundo de alguem, da sua Mãe pelo menos e por isso não adianta dizer que nao tem importância. Tem é claro que tem, não tem é o mesmo impacto!)  mas sim com 239 PESSOAS!!! 239!!! 239!!!

São muitas Pessoas, são muitas Histórias, são muitos Mundos.

Perdidos, desaparecidos, sem qualquer motivo aparente, sem uma explicação plausível para o que aconteceu. Nos primeiros dias tive esperança. Porque os telemóveis davam sinal e tocavam. Porque os perfis de alguns passageiros apareciam online nas redes sociais, embora nunca nenhuma troca de mensagens tenha sido efectuada.

Tive esperança. Que fosse terrorismo. Mas desta vez se tivessem arrependido e apenas tivessem levado o avião para um sítio distante. Não sei ainda o que aconteceu. Ninguem sabe. E isso é muito triste. Muito mesmo.

Aqueles Mundos, aquelas Mães não mereciam que uma parte delas lhes tenha sido arrancada. Sem explicação.

Não podem fazer o luto. Não podem chorar com a certeza de que o mistério está resolvido e podem seguir (destroçada está claro!!) a vida para a frente. Não podem. Não conseguem.

Quando não sabemos o que aconteceu, podemos pensar que tenha sido um acidente. Não sei se melhora o sentido. Mas a mim, enquanto Mãe, Filha, Pessoa, serena-me pensar que aquelas pessoas não sofreram. Que nem perceberam muito bem o que lhes aconteceu.

Porque Mais triste do que acontecer alguma coisa, é sabermos que nos vai acontecer, e não termos a liberdade de poder dizer (uma ultima vez!) a quem amamos, o quanto os amamos! Amo-te é uma palavra muito forte. É para ser dita nas situações limite.

Mas que não fique NUNCA atravessada!!

Bom dia!!!

Image