#oneyear #day365

faltam+365+dias

Murro no estomago…

Ás vezes Deus encarrega-se de nos por o dedo no nariz.

Porque é feio, bem sei, queixar-me da vida que tenho, quando Graças a Deus, não me falta saúde, esse que é de facto o bem mais essencial.

Os dias tem sido complicados, diria muito complicados. Das dores de cabeça, à incapacidade de ingerir alimentos, dormir, conseguir dar atenção ao que seja, conseguir estar sem chorar..enfim não tem sido fácil..

Hoje foi o dia do recomeço. Para uns é o dia do recomeço, para mim é o primeiro dia da minha contagem decrescente..

Começo hoje a contar. Começo hoje a arrancar mentalmente as folhas que representarão os dias, que correspondem à minha esperança.

Neste dia que é tão especial para uns (acredito que para ti filhote seja especial, porque senti que estavas bastante ansioso), para mim já teve o seu impacto.

Esse impacto não foi causado pelo facto de ter revisto as minhas amigas, a escola remodelada e preparada para receber os 120 novos alunos que hoje chegaram, os professores ..enfim toda a azafama que caracteriza o primeiro dia de escola.

Apesar de ser 18 de Agosto, o primeiro dia de escola representa tudo aquilo que tambem os meus primeiros dias representaram. Até temos a chuva e tudo a acompanhar..

Mas, o que marcou de facto o meu foi dia não foi isso..

Parei junto ao supermercado e vi um senhor que costumo há muito ver…Não sei a nacionalidade, não sei as condições de vida, não sei nada de nada do senhor..Já o vi inumeras vezes. É baixo, muito moreno, e vende revistas à porta do supermercado.. Para sobreviver, penso eu.

Nunca lhe comprei nenhuma revista, nunca deixou que o olhasse nos olhos, nem sei se conseguiria falar com ele, porque se não falar ingles, não consigo estabelecer muito contacto.

Nunca vi o senhor a estabelecer contacto com ninguem, nunca vi portanto ninguem a comprar-lhe uma revista.

Hoje vi.. uma senhora que dele se acercou e manifestou interesse em comprar, em ajudar..

A perplexidade dele não lhe coube no peito.. A gratidão foi tanta que de imediato começou a chorar. Compulsivamente. Assisti de longe e desatei a chorar, colocando de imediato os meus oculos escuros para me refugiar.. Ele continuava a chorar e beijava as mãos da senhora, como se é suposto fazer com os reis, as princesas, os Papas e as Suas Altezas..

A senhora estava incrédula.. estupefacta.. Neste país penso que as pessoas tal como não conseguem sorrir, também não conseguem chorar. As emoções são algo muito complicado..

Observei toda a situação ao longe, enquanto o meu estomago levava o maior murro..e as minhas lagrimas nao paravam de correr.. Percebi que a senhora não foi capaz de gerir a situação.. A vir para casa, vi o carro dela parado numa viela..e ela lá dentro….a chorar!…

Curiosa esta vida não é?

Foi uma grande lição..

Queixar-me que chove em Agosto?!?! Se calhar e de certeza, a Vida é muito para além disso..

Bom dia!!

ataque-cardiaco