Here.

Queria estar a ver notícias.
Mas não posso. Porque precisas de mim, porque sinto que sim e por isso deixo-me estar.

Estás agarrado a mim como uma lapa. Cabeça encaixada no meu ombro, respiração que desagua na minha. Sentes segurança aqui. E eu entendo-te.

Afinal, Mãe há só Uma.
Boa Noite.

Advertisements

That’s it.

Cada vez mais sei que escolhi bem.
O curso que segui, a carreira que nunca tive mas que ainda hoje me apaixona.
Gosto de quem fala fluente, apaixono-me por textos bem escritos, sonho ao ver fotografias poderosas.
É apenas o grandioso poder da comunicação.

Haverá algo na vida melhor que pessoas a comunicar?!
Hum…não me parece…

Boa Noite.

Sócrates e o Heron Castilho (Take III)

Hoje percebo que estes fantásticos edifícios são suspeitos.
Como tudo o que dá muito nas vistas…

Sócrates foi detido na sexta feira, dia 21 à chegada ao aeroporto de Lisboa…

Não sei quais os argumentos, se o perigo de fuga, se a ocultação/destruição de provas, sei que foi montado um verdadeiro estaminé de caça ao homem, com televisões em directo no corredor das chegadas…
Como é que se faz isto a alguém, sem ser um serial killer que ponha em causa a segurança dos cidadãos, como?
Televisões? Para emitir em directo a detenção de alguém que (mal ou bem) esteve aos comandos do nosso país? No corredor das chegadas do aeroporto? Porque não seguir o carro, porque não actuar de forma mais recatada? Porque assim a justiça dá uma ideia de maior credibilidade, e os senhores do Ministerio Público tidos como exemplares na sua actuação?

A quem interessa esta detenção em directo? Serve para percebermos que aos olhos da lei somos todos iguais, “dura lex sed lex “, sim isso eu entendo e até aprecio..mas tinha que ser mesmo assim?!?!

Porque me parece que não tinha que ser assim, porque quero acreditar que a justiça não precisa de show off, que pode ser justa e posta em prática sem ter que ser assim.
E atenção, percebo que as televisões ali estivessem, não quereria eu perder tal cobertura se numa televisão trabalhasse…
Mas acho que poderia ter sido diferente….
Acho que muita lei não foi cumprida ali, e não percebo nada de leis…

Afinal de contas, percebo que muitos estejam contentes, porque sim e porque assado.. E porque continuo a achar que independentemente do credo, religião, raça, cor, todos, sem excepção, devem ser punidos…

Mas ás vezes tambem penso..
Tinha mesmo que ser assim?!?!

Boa Tarde!

Sócrates e o Heron Castilho (Take II)

Percebi que poderia continuar a sonhar, mas o meu sonho traduzir-se-ia numa linha contra as vitórias da direita. O que é bem diferente do que um sonho deve ser!

Sócrates chegou a Primeiro Ministro!

Foi a primeira vez que me sentei com o meu pai e lhe expliquei que desta vez tinha que votar PS. Que era a única opção que tínhamos ao dispor para atingir uma maioria absoluta. Que entendia as razões dele mas desta vez tinha que me ouvir..
E o meu pai, tal como milhões de outros, votaram. E foi a primeira vez que fiquei feliz com uns resultados eleitorais! A primeira vez!

Por isso Sócrates não me é indiferente.
Se acho que fez um bom trabalho?
Claramente que não, e as avessas de que a minha vida tem sido feita, são disso um bom reflexo!
Mas não é por isso que agora me vou esquecer da alegria que senti, porque os olhos do meu pai brilharam naquele dia. E os meus também, porque são (ainda hoje!) um reflexo dos dele!

Não conheço o José Sócrates (desculpem mas Eng Jose Sócrates soa-me mal!), mas sempre percebi que estava bem rodeado de poder..
Para mim enquanto pessoa, tem carisma, tem elegância, tem saber estar, tem bom perfil (Não tem o ar enfadonho do Cavaco Silva, que parece que esta senil há muito tempo, nem a inocência ou a incapacidade do Seguro, nem a tez morena e o papo inchado do Costa que parece ter sempre uma t-shirt vestida com a frase “Sao favas contadas!”) mas atrapalha-se (muito!) no discurso.

Em 1999, eu trabalhava em Lisboa. O meu primeiro emprego (a sério) após ter terminado a faculdade.
Trabalhava na Rua Rodrigo da Fonseca e todos os dias vinda do metro, subia de manhã e descia à tarde, a Rua Braancamp.
Passava todos os dias pelo edifício Heron Castilho. Sabia que vivia lá alguém importante, porque tinha forças de segurança à porta. Sabia que era o Sócrates.
Cada vez que lá passava, olhava o edifício de cima abaixo, não para ver se o via, mas porque o edifício era de facto, fantástico…

Sócrates e o Heron Castilho (Take I)

Sou de Esquerda.
Sempre fui! Parece-me que sempre serei. Mas como o Sempre é muito tempo, não sei, nem posso garantir.

Este esclarecimento inicial, visa desde logo deixar em pratos bem limpos aquele que é o meu ponto de vista sobre algumas coisas, neste “mega momento onde cada um escreve o que lhe apetece sobre o assunto”..

Um ex primeiro ministro do meu país foi detido!

Vários crimes estão em causa, sendo o branqueamento de capitais, o tráfico de influências, fraude fiscal e a corrupção agravada, o que mais se destaca…ou seja enquanto um país inteiro achava que tinha alguem de confiança a governa-lo, ele, Sócrates, “governava-se” a si próprio, amealhando e “roubando” o que não lhe pertencia… Este deve ser um polvo gigante, com demasiados tentáculos, que estamos, ainda, longe de desvendar..

Poderia escrever muita e muita coisa acerca da minha opinião sobre tudo isto, da política, à corrupção, do bem governar ao querer apenas pertencer ao poder, ou dele fazer parte, ou dele estar perto, ou com ele estar conotado.
Mas não o vou fazer…Nem o meu blog é sobre economia, nem eu estou com informação suficiente no momento para escrever sobre este assunto. Faltam-me as imagens televisivas em directo, faltam-me os debates, faltam-me os jornais físicos (assimilo muito mais a ler um jornal em papel, do que a sua versão online), enfim não consigo, por mais que tente ao máximo estar inteirada do que considero mais importante…

Mas adiante.

Fui educada numa cultura de esquerda, onde os valores de esquerda me foram incutidos desde muito cedo. A Festa do Avante foi dos primeiros eventos onde fui pelas mãos dos meus pais e lembro-me perfeitamente de ter chorado baba e ranho no ano anterior por não me terem levado…

Quando atingi a idade adulta, e quando comecei a votar, o meu discernimento percebeu de imediato que a esquerda dos meus pais era um sonho que não tinha pernas…