Love it.

Já aqui falei do poder do sol em mim.
De como percebi o quanto lhe gosto, que nao se traduz em palavras nem é passível de quantificar…

Os dias estão maiores, muito mais solarengos, mais claros e mais quentes (embora o preto ainda seja a cor que predomina em mim!). Ainda hoje vesti o mesmo casaco que visto com -12 e afinal estavam 18 positivos…qualquer coisa de errado nisto, ou em mim ou no casaco.

Entraram-me mesmo agora estes raios…fugazes, fugazes, ás vezes nem dois minutos se aguentam… Hoje duraram uns 3 minutos…
Para mim são piscadelas de olho, do Mundo, do Universo..
Está a tornar-se este “apanha o sol” um pequeno grande vício para mim.

Boa Tarde.

Advertisements

Do gostar. Mesmo Muito.

Comecei a ler a Rita há muito tempo.
Todos os dias, sempre que partilhava alguma coisa, eu devorava e habituei-me a guardar os seus textos. Havia dias (muitos) em que precisava de trocar ideias com ela. Trocámos inúmeras mensagens e agradeci-lhe (inúmeras vezes) o que escrevia..

Um dia perguntei-lhe porque não editava um livro..porque eu gostaria imenso de poder ter os textos à mão, para ler e reler.. Nessa altura, respondeu-me ela, a ideia não passava disso mesmo duma ideia..”Pode ser, um dia..quem sabe”..

Há uns tempos atrás, essa ideia, distante, ganhou formas…e hoje está aqui comigo na minha mantinha.
Porque estes desabafos, porque o que está rapariga escreve é absolutamente brutal e incrível, deixo-vos a minha sugestão.

Saberei quase tudo de cor…Ainda assim, a vontade de “me perder nisto” é enorme.
Boa Tarde.

Time to run…

Os primeiros raios de céu azul chamam-me rapidamente para corridas, ar livre, caminhadas e fotografia…
São muitos meses fechada, enclausurada, de volta da tecnologia, dos livros, dos papéis, das imagens e dos pixels.. São coisas que gosto, mas é bom perder o interesse pelos raios de sol que entram porque o fazem com uma maior cadência…não serem raros ao ponto de os fotografar, que é algo incrível e que vivenciei.

Fui correr, e apesar do verde querer despontar, ainda é o branco que predomina no lago. Ainda é o gelo, ainda é a dureza…

Não consegui correr muito. Porque tive que fazer um percurso diferente do habitual, e porque era um trilho sinuoso, inclinado, e que para quem começa não é pera doce.
Toda a gestão das roupas, o que é quente, o que é frio, os telemóveis, a música, as apps para correr (que hoje não “correram”) e os phones, mais as golas e as fitas para a cabeça…

Sei que sou complicada. Que sou uma pessoa que vive dos pormenores e dos detalhes mas é certo que são eles que me ajudam a viver as coisas maiores…
Tudo isto faz parte do ritual, como as dores que se sentem no dia a seguir e como ouvir as letras das músicas com uma maior clarividência…como se fosse tudo mesmo assim…como “eles” cantam.

Gosto de correr com música bem mexida. Gosto de ritmo, gosto até de parar e se for preciso agitar braços e pernas..Há uma comunhão muito grande entre os phones, a música e quem corre…

Isto sou eu. Sem tirar nem por.

Ah…é verdade, tinha Saudades!
Bom dia!!