Ser do tempo…

Gosto muito de ser ainda do tempo em que nao existiam telemóveis, redes socias, internet para saber como se faz arroz doce, para saber a que horas nasce e se põe o sol, para saber tudo e mais um par de botas..

Nesses tempos idos tinha a companhia dos livros, das revistas (de que sempre fui viciada) e mais tarde da música.
Tive um pequeno rádio, um walkman onde ouvi ainda bastante música.

Agora gosto desta solidão que a televisão e o computador desligados me dão.
Gosto de ouvir os pássaros lá fora e ver o movimento das nuvens.

Preciso de muito pouco.
Muito pouco mesmo.

Boa Tarde.

Advertisements

Dos cuidados.

Cuidado.
Se tiveres comido por favor não faças exercício. Nem que tenham sido só 2 ovos estrelados com 2 fatias de pão.
Não facilites.

Boa Tarde.

Da emoção.

Hoje está sol.
Está céu azul.
Os termómetros ate marcam uma temperatura amena de 7 graus. Mas está um vento tão mas tão gelado que hoje a corrida do lago, vai ter que ser substituída por um “Just Dance” em frente ao computador…

Ontem foi de dia de fotografias. Que já estão tratadas, organizadas e enviadas para quem lhe dará seguimento.
No evento que fui fotografar, havia a hipótese de participar, ajudando, uma associação que trabalha com crianças da Etiópia. Essa ajuda era feita através da compra de umas echarpes que vieram directamente da Etiópia, logo com tecidos diferentes, tons diferentes, melhor dizendo completamente diferentes.
Havia um preço fixo (já não me sei orientar no barato ou caro porque quem vive neste país deixa de olhar para esse conceito da mesma forma), e acabei por comprar uma.
Vou colocá-la e tentar tirar uma foto para mais tarde aqui postar.

Senti-me bem a ajudar. Juro que sim.
Vim com o coração cheio por fotografar as crianças de novo, com a voz embargada pela emoção que senti em alguns momentos e com os olhos borrados das lágrimas caídas, por vezes, atrás da lente..

Sou assim mesmo, que hei-de fazer?
Boa Tarde.