Não gosto.

Não gosto de dias cinzentos.
Não gosto de me sentir em baixo, sufocada, angustiada.
Não gosto que façam de mim “gato e sapato”.
Não gosto de não ver uma luz ao fundo do horizonte.
Não gosto que em dia de celebração do meu blog, das coisas mais preciosas que tenho, estar assim.
Não gosto de muita coisa.
Faz-me confusão outras tantas coisas.

Não gosto que quem melhor me conhece esteja longe.
Não gosto de chorar, em frente a estranhos.
Não gosto de ter que bancar sempre a forte, quando estou um caco.

Não gosto desta dor no peito.
Não gosto. Mesmo.
Não gosto de fingir e muito menos gosto de ansiedade, de bater de coração acelerado, de preocupação desmedida.
Não gosto que não me tratem pelo nome. Não gosto de não tratar os outros pelo nome.

Não gosto de muitas vezes não ter força.
Não gosto dos dias em que não a tenho…
Não gosto.

Advertisements