De Hoje.

image

Hoje, ao começo da tarde.
*

Advertisements

Da vida exposta.

Volta e meia apetece-me dissecar..
Vejo tanta porcaria aí por essa net fora que me apetece dissecar, escarafunchar.

Não sou pessoa de perder tempo a ver perfis..acho uma chatice. Sou capaz de perder horas a ver fotografias, e demorar-me mais tempo em fotografias que sei que gosto ainda mesmo antes de serem feitas..Agora ver o perfil de a ou b que não conheço ou nada me diga..não tenho pachorra. Quem me é especial não precisa de mostrar um sorriso na foto de perfil..porque eu vejo para além disso. Ainda que de bem longe.

Há algum tempo atrás comecei a descortinar alguns começos de relação..coisa que para alguém como eu (perspicaz!) é fácil de perceber..
Não conheço a pessoa em causa, mas é conhecido de amigos meus e portanto “caiu-me na sopa” uma vez..e honestamente sempre achei o seu discurso meio “dengoso” demais..
1+1 são 2 e nos blogs lê-se muita coisa portanto percebi que a primeira relação tinha ido por água abaixo porque a cara metade “chorou baba e ranho” no seu blog público..

Passado pouco tempo novo envolvimento..o mundo da fotografia é muito pequeno, especialmente em Portugal..até nas plataformas internacionais de fotografia as pessoas são as mesmas..e portanto é muito fácil..De novo, declarações de amor de caixão à cova..num relacionamento de semanas..exposição em exagero, fotografias em locais espantosos,  expondo a outra pessoa..enfim..muito complexo para o que considero normal..

E do nada tudo termina..e se evapora..
E outra história, esta agora nova, começa nos mesmos moldes, apenas muda a figurante..a sua figura..porque é mais do mesmo..

E pergunto-me eu, Porquê?
Para quê?
Saberá este ser o que é Amar?
Saberá este ser que procura claramente “o seu lugar ao sol ” que precisa resguardar-se mais nas suas fotografias e na forma como se expõe? Que ficariam muito mais topo se não soubéssemos o que vai por ali?
Certas coisas não entendo.
Esta exposição é uma delas.

Não preciso de vos dizer o que representam para mim.
Sei que o sentem.
Ainda que com silêncios, ausências e distâncias.

**

Da neve.

image

Dias com neve são dias em que parece anoitecer mais tarde..
Não me livro de ser de noite há muitas horas, mas havendo neve a luminosidade é diferente. E ainda para mais se há sol e neve, tanto o raiar do dia como a caída da noite vão ser em cor de rosa. É quase sempre assim.

Ansiosa por fotografar.
A saudade não me larga, caramba..

**

De Hoje.

image

-10.
Aliviada por não ter tido nenhum acidente.
Anda toda a gente com muito medo a conduzir. Rampas que não se conseguem subir, alternativas que não funcionam. Um sol radioso que se revela muito perigoso nestas condições. 

Saí de casa e quero voltar para o meu País. Hoje.

😥

Novo Ano.

Ontem andava por aqui a reler o(s) meu(s) ano(s) anterior(es)..

De facto já me tinha apercebido que o nome deste blog não podia ser mais adequado…”One Feeling a Day”..
Desde que o comecei que aqui trago vivências, quotidianos mas sobretudo os meus sentimentos.
Está tudo aqui, embora não seja fácil aqui trazer as lágrimas e soluços deitados, os sorrisos que não saíram,  a saudade verdadeira..
Acho que ficam com uma ideia, mas muito aquém daquilo que realmente vivi/vivo.

Não sou pessoa de me impor a ninguém..mas estou claramente mais velha e sou muito senhora do meu nariz..
Esta experiência fez-me ver tudo de forma diferente..
Sou hoje uma pessoa que aguarda calmamente o que a Vida lhe reserva..porque é a Vida quem decide o rumo que quer tomar..
Não vale a pena fazer planos..mas vale muito a pena seguir instintos, intuições.
Não deixo, nos dias de hoje, que não seja eu a personagem principal do filme da minha Vida. Já deitei muitas, infindáveis lágrimas..
Já me detestei, já fui má para mim.
Já pensei desistir do que tenho de mais belo que é a minha Vida.
Hoje sou outra pessoa. Mas sem sombra de dúvidas.

Não posso deixar de viver a minha Vida em pleno. Porque ela é o que tenho de facto.. Tudo o que vivi está cravado em mim (de uma forma muito forte), mas tenho que ser positiva no que ao meu futuro diz respeito.
Muita coisa não consegui realizar mas isso nunca poderá ser razão para desistir, até porque tenho muito que viver.

Se a vida vai seguir pela estrada mais complicada? Não sei..Mas não pretendo desistir.
Aprender a olhar por nós, gostar de nós e nunca deixar que sejamos nós próprios aqueles que mais nos magoam, é uma máxima que não pode ser esquecida.

Isso seria um contrasenso.
E contrasensos já existem q.b.

Bom Dia.
*