Enfim..

Ando há umas horas para escrever sobre este parvalhão…mas nem sei muito bem que abordagem devo tomar..
Ontem vi isto por acaso no Facebook de uma amiga..em poucas horas as partilhas acompanhadas de testamentos a denegrir esta “aventesma” eram tantas que o meu feed tem isto a cada minuto..

Ora bem este tipo é só muita estúpido.
Vai lançar um livro sobre o Alentejo, mas a mostrar, diz ele, o outro lado..
Que o suicídio é tão normal para os alentejanos como o nevoeiro..não se questiona, que os alentejanos são desconfiados..enfim parvidade atrás de parvidade..
Este gajo não sabe nada do Alentejo..a única coisa que tem de lá é a pronúncia e nem essa ele merecia ter porque lhe assenta mal..
O Alentejo não é para quem se quer reconciliar com ele, porque para quem é alentejano nem sequer se equaciona alguma vez uma separação; Não estou no Alentejo há mais de 20 anos e todos os dias lhe sinto o cheiro, lhe tento igualar o sabor naquilo que faço para enganar o palato, e conto os dias que faltam para ver a placa a seguir à Marateca.

Este gajo utilizou em vão o nome da terra que me viu nascer..que não é evoluída para ele, e que também eu sei para muitos pode não ter muito interesse, mas que é a minha terra, a mais especial de todas. Aquela onde cresci, onde me fiz mulher, e onde sempre pertencerei, porque lá é o meu lugar.

Este parvalhão está bem lixado da vida dele..
Um dia vai perceber que o livro não vendeu porra de coisa nenhuma e que se enterrou no dia em que disse o que disse..

Parvalhão de merda!!
Não te auguro bom futuro!!