Dos dias.

Há dias, horas, momentos muito duros..
Dias em que nos sentimos perdidos, alheados, sem saber como sorrir..
Certos dias os sorrisos não saem.
Que o nosso Eu está longe, que a nossa vida activa se resume a verificar visitas que não “visitam, e que medos não nos deixam fazer tanta coisa..
Amanhã é outro dia..

**