Dos erros de um (por acaso) Ministro.

image

Até os meus pais que não têm Facebook, nem computador e vivem muito “longe” da era digital,  tem noção do quão poderosas são as redes sociais, de como tudo se propaga a uma velocidade alucinante e como não podem ou devem partilhar-se opiniões,  fotografias, shares, whatever, sem ter clara noção das consequências que daí possam advir.

Há pessoas que não foram talhadas para usar as redes sociais. Porque não percebem o alcance que as mesmas têm,  porque não percebem nada de nada dos critérios de privacidade e/ou edição das publicações ou porque não percebem o alcance do que dizem.
Isto aplica-se a analfabetos da era digital, que podem ser o Zézinho da esquina ou o Ministro da Cultura de um País.

Não serve este post para falar do senhor, estou a borrifar-me para a pessoa em questão e não estou nem aí. O que me preocupa honestamente é que possam chegar a ministros tipos que oferecem [publicamente] bofetadas a críticos, jornalistas ou quem seja, apenas porque estes deram a sua opinião sobre algo.
A liberdade de expressão é algo que foi conquistado a Ferro e Fogo. É algo pelo qual lutámos e que sempre ansiámos.
Vir agora um tipo e escrever uma coisa destas, como o xpto de 16 anos a dirigir – se aos seus pares com quem discutiu ontem à noite, é que me parece de muito mau tom.

Já se demitiu claro. Não tinha outro remédio.
É importante perceber que a era em que vivemos faz com que tudo tome proporções gigantescas. 20 minutos depois de ter publicado o post deve ter percebido de imediato que o caminho dele era a demissão..
Não sabia ele como as coisas funcionavam.. Os julgamentos agora,  meu caro, são em praça pública num qualquer ecrã, numa qq fila de trânsito.
Erros destes não se cometem..

Apesar de tudo pense que há algo de positivo.. Fica com mais tempo livre para treinar num ginásio..
Pode assim aprimorar as bofetadas que há tantos anos promete a quem não partilha da sua opinião.

Boa Tarde.
**