Dos Backup’s desta Vida.

image

Tenho muito medo do que não depende de mim.
De cada vez que tinha reuniões aqui em casa para trabalhar no Yearbook, pensava para com os meus botões que toda a minha vida quase dependia de 2 discos externos que tenho.
Tenho nesses discos, uma vida em fotografias, uma vida ainda maior desde que o bichinho da fotografia me agarrou à Terra, e me fez ter força para continuar e continuar..
Vivia atormentada com o facto do disco se poder estragar, deixar de ficar visível, o que fosse..

Aconteceu ontem..
Do nada deixei de ter disco, liguei cabos, mudei ligações, liguei computador, desliguei tomadas.. Nada..
Consegui com o disco de backup recuperar tudo até 2014. Tenho o ano 2015 [inteirinho] no disco branco.. Sem lhe conseguir aceder, a rezar aos santinhos para que nada lhe aconteça.
Quis o destino que tudo do Yearbook já estivesse em pens [várias], nos discos do designer, na empresa.. Em projecto já feito..

Já andava a matutar no WordPress e agora ainda mais penso..
Do que nos valem os discos? As clouds, as memórias externas, os folders cheios.??
Num segundo tudo se esvai..
Os momentos, são aquilo que vivemos e arriscar-me-ia dizer que muitas vezes, dos mais importantes, não há um registo que seja.. Fotográfico, sonoro, em vídeo, ..
Se isso faz com que sejam menos importantes?!  Por nada deste Mundo..

Isto faz-me pensar..
Gosto muito das minhas fotografias, ficarei muito triste se tudo se perder, mas não vou achar que é o fim do Mundo.. Fim do Mundo seria se se tivessem confirmado as suspeitas de doença que tive.. Isso sim, seria grave.

O pânico de qualquer pessoa que fotografa é perder tudo [qual que seja a forma e/ou via] o que fotografou.. Mas  quem conseguirá, do coração apagar, o que se viveu?!?!

Boa Noite.
**

P.S – Façam backups, por favor.
Das fotos e de tudo o que vos foi [é] importante.
Um abraço.