Da força dos que ficam.

Toda a gente sabe como as mudanças são complicadas..
Toda a gente sabe das reviravoltas desta vida que nos fazem ganhar pessoas mas perder outras tantas [ainda mais]..
Toda a gente sabe e conhece que quando se está na mó de cima os amigos são aos milhares, mas depois na mó de baixo já só são centenas ou dezenas ou se calhar até se contam pelos dedos das mãos..

Sou pessoa de grande personalidade.
Não me rebaixo a quem não me quer [embora isso me possa fazer sofrer c’mo caraças], não me imponho, não insisto, nem sequer pedincho..

Nestes anos fora, aprendi muita [mesmo muita] coisa..
Saí com muita mágoa, com muita tristeza, porque não era a minha opção.
Na altura os vizinhos que deixei sabia serem os verdadeiros. Sabia que podia [e posso, alguns] contar com eles sempre.
Com eles aprendi que a simplicidade é um reforço. Que me ajudaram tanto e sem saberem..

Eu posso bem comigo.
Não suporto é sequer imaginar que se arquitectam esquemas para que o miúdo a ou b não brinque com o meu filho.. Que se fechem janelas para se passar por ” não estar em casa” e que se ignore uma criança.
Aí a minha boa educação é revertida.
Porque isso sim é muito mau.
Isso sim é uma falta de educação.
Podem fazer-me tudo a mim.
Sou forte como uma rocha e pouco [já] me afecta depois de tudo.
Agora com ele, um pequeno assustado, com o futuro revirado de um avesso [que afinal há-de ser o direito], isso não.
Ele caminhará sempre com o meu apoio. Por mais sinuosas que as estradas sejam e quantas vezes sejam necessárias voltar atrás.. Estarei ao seu lado. Sempre.

Os adultos são maus.
As crianças são cruéis.
Muitas vezes não me entendo com este Mundo porque creio ser uma pessoa diferente.
Talvez ingénua, talvez “naif”  não sei..sonhadora ou alguém que ainda acredita..

Enfim..
Apenas um desabafo.

Boa Tarde.
**