De novo.

Ia escrever sobre fotografia.
Sobre como me delicio a ver fotografias cheias do talento de quem as capta..
Como gostaria, um dia, de fotografar assim..
Como me inspiro em silêncio ao ver fotos deste calibre..

Mas do nada sou confrontada com mais um final de dia triste.. Outra vez vidas de inocentes ceifadas..
Vi todos os jogos do europeu de coração nas mãos, sempre à espera que tudo terminasse em paz, não poderia conceber que vidas fossem interrompidas quando se apoiava o País, a Nação.
Tudo correu bem, mais importante que termos sido campeões foi nada ter acontecido que manchasse aquele espectáculo..

Menos de uma semana depois, num dia importante para a França e eis que de novo somos confrontados com estas imagens [que prefiro não ver, honestamente]..

Que Mundo é este? 
Como paramos isto?
Como se pára este desenfreado e frio modo de interromper vidas de vítimas inocentes?

Não consigo escrever sobre fotografia, nem ouvir concertos na rádio em directo com os phones nos ouvidos..
não, sabendo que mais de 70 vidas se perderam enquanto na emoção de assistir ao fogo de artifício [serei a única pessoa que chora com fogo de artifício?!] alguém lançava o pânico da forma mais cruel..

Viver não deve[ria] ser feito com medo.
Ninguém nunca deverá sentir que outro, outros, sob que credo, religião ou convicção, lhes interrompam aquela que é a maior virtude que temos.
A Vida é o bem mais precioso, deverá terminar para cada um, quando chegado o momento que o destino, as forças divinas ou o metabolismo, assim o decidam.
Não foi no Europeu mas foi agora.
Caramba, o evento terminou e serenámos nunca pensando que isto pudesse acontecer..
Porra, sinto uma culpa estúpida de não conseguir, conseguirmos, resolver isto, como se estivesse[mos] de pés e mãos atados e apenas soubesse que não consigo dormir..

Não é do outro lado do Mundo, porque todo o Mundo para mim é já ali.. Em todas as horas de todos os dias me interrogo sobre isso..
Sobre esta injustiça.
Da Vida terminar para estas pessoas, sem terem tempo, de uma última vez, dizer o que lhes vai na alma.

Boa Noite.
Um abraço.
**