Da impotência. 

Sempre nesta altura do ano somos confrontados com imagens de incêndios. Com imagens terríveis de incêndios, uns atrás de outros, sem causa aparente a não ser o desvario de loucura de pessoas que gostam pura e simplesmente de ver o mal.. 

Custa-me muito. Juro que me custam ver homens que, muitas vezes a troco de nada, saem do conforto das suas casas, dos seus sofás, ou trocam horas passadas em família [tantas vezes as únicas horas que os trabalhos lhes permitem para ver filhos pequenos] por horas em combates, tantas vezes, ingratos.. Uma luta desenfreada contra as chamas, contra o mal.. Apaga daqui, reacende a 3 kms.. 

Custa-me que seja tão contraditório o céu laranja que vejo daqui, daquele que se vê nos meios de comunicação.. Que ano após ano, famílias estejam com o coração nas mãos enquanto rezam para que os seus entes voltem sãos e salvos.. 
Juro que quando vejo as notícias, penso quão contrastante é a realidade do céu que avistamos.. 

Porque é a zona centro a mais fustigada, ano após ano?!  Haverá interesses que nos ultrapassem?  Porque não se consegue por fim a isto? 

Não consigo parar de pensar que hoje enquanto procurava uma posição confortável na areia da praia, bombeiros limpavam o tisnado da cara e ansiavam por uma gota de água que lhes matasse a sede e desse ânimo para a labuta.. 

Não consigo parar de pensar se está mesmo tudo bem… 😑 Caramba. 

Boa Noite. 

**