Numa ilha. 

Estou rodeada de caixas por todos os lados. 3 anos empacotados. Como se de uma ilha se tratasse, ainda que tenho forma de conseguir mover-me neste amontoado, estou quase na recta final. Levantada desde as 7 da manhã para dar começo à jornada de hoje [que vai ser longa]. 

Pensei que sendo uma jornada tão esforçada, merecia aquilo que de melhor a vida tem para comer. 

Comer figos da Índia da Turquia e Marrocos não é igual a apanhá-los da piteira e comer ali mesmo ao lado ou horas depois.. O transporte, a maturação, alteram [e muito] o sabor dos figos. Tenho, [tinha] aqui todas as cores, mas os brancos são os meus favoritos, embora que todos estes estivessem muito aquém da maravilha que isto é.. 

Detesto figos da Índia que não estejam no ponto. Não gosto deles maduros, sem estarem no exacto ponto que gosto. 

Pela fotografia até podem parecer xpto. Mas não são. Comi tudo porque não os ía mandar fora, mas sabem quando ficamos com aquele desapontamento característico quando percebemos que nunca mais vamos ter os figos da Índia que a nossa avó nos dava, descascados, frescos, com um sabor soberbo?!?! 

😑

**