Trivialidades de uma senhora loura. 

Estou à janela do avião. 

Não gosto de ir no meio, ou vou no corredor ou à janela. Ontem fiz check in online e estava no 5 ali em frente à cortina da executiva mas mudei.. 

Aqui muito perto vai um casal. Devem estar em trânsito, vindos de algum destino tropical, porque ela tem uma cor de pele que eu teria se tivesse estado 4 meses nas Caraíbas e todos os dias na praia do meio dia às 4. Tem mais de 60 anos, mas quer parecer muito mais nova.. Tem uns calções daqueles que eu tb uso mas não nos aviões que vem da Escandinávia onde Agosto é Outono e há pessoas de botas, é loira, muito loira, tem extensões no cabelo [nunca tinha estado tão perto de alguém com e estou tão assustada] e passa o tempo a enrolar madeixas, uma a uma.. Tem unhas de gel mas o autobronzedaor deu-lhe cabo do bom aspecto, que isto de unhas de gel é bonito mas sabemos como é.. Traz uma cesta de verga daquelas da praia com pompons de lã multicolores, que é maior que as minhas 3 malas [trago a da máquina e mais duas]. 

Ele é professor catedrático e tem filhos de outro casamento e ela sei que viaja com frequência. Falam muito [imenso e é assim que eu vejo que sou uma pessoa tão contida]. Ele tem um portátil, ela um IPad onde lê alto para ele [e para quem ouve] uma entrevista a um outro professor catedrático que ele pede [insistentemente] que ela lhe resuma, falam das lembranças que compraram lá no destino turístico de onde vêm.. Eu continuo abismada com a cor de pele dela, dos braços, das pernas, da cara.. 

Ele trabalha no portátil, afincadamente, eu trato fotografias e entretenho-me a escrever. 

Está uma turbulência dos diabos. Que cagaço tenho eu [agora ainda mais] de andar de avião. 

**