Starting. 

E aos poucos lá se começa. Nas rotinas do dia a dia, com um ar extenuado cada vez que o sol se põe e terminam as jornadas que tem começado por volta das 6.Diariamente.

Assumo que não há palavras para descrever o que sinto quanto ao meu regresso. Mereço estar no meu país, mereço estar num lugar onde me sinta verdadeiramente bem, mereço conseguir ler legendas de televisão, de revistas e rótulos no supermercado, mereço ser necessária e útil e ser recompensada ao final do mês por isso. 

Confesso que gostaria de ter tido mais tempo para me organizar, para sedimentar uma série de coisas, para conseguir por tudo em ordem que ainda não consegui. Mas era necessária agora, num projecto imediato e a Vida é dos que se atrevem sem medo de começar a trabalhar ainda nem tendo mudado moradas. E lá fui eu. E lá estou eu. A dar o litro como sempre. 

Tenho alguns assuntos que aqui queria trazer. E vou trazer. Assuntos da actualidade que me estão atravessados, a violência emergente nos adolescentes de agora, os cursos de comandos que, sem se perceber como e porquê, atiram militares para camas de hospital e pior levam a sonhos interrompidos por mortes inexplicáveis. Não há explicação para uma coisa destas. Mesmo. 

Tenho tanta coisa para escrever e os meus olhos fecham-se a cada caracter premido.. 

**