Bom dia, sol maravilhoso. 

O tempo. 

O que nos permite fazer o que tiver que ser feito, com ele. 

O tempo não me tem dado. E a Vida não pára, nem as enxaquecas quando têm que vir, nem as dores quando resolvem aparecer, nem o turbilhão de sentimentos no que respeita a tanta coisa. 

Eu não sou uma pessoa fácil. Tenho um nome do meio que é Sentir, e que é um nome que me marca.. [até o meu blog haveria de ter um nome com isso relacionado].. 

Tenho andado às voltas com imensos sentimentos, sensações, reflexões. Do que não posso permitir [os 40 trouxeram-me tanta reflexão!], do que posso aceitar [mas com ressalvas] e do que imediatamente,  quaisquer que sejam os moldes, se tem que dizer Não!!!

Cada percurso de estrada que percorro, a cada lugar que vou [nesta cidade que me marca a ferro e fogo] há sempre memórias.. do tanto que já fiz, do que tanto que já me dei aos outros, dos sorrisos e cumplicidades, da calçada e terra batida percorrida batendo de porta em porta para no fim do mês ser tão pouco o que se amealha..E em como, sempre coloquei um sorriso no rosto, ninguém me ouviu reclamar, insurgir-me fosse ao que fosse, ninguém me viu frustrada por estar no topo e vir para baixo, subindo degrau a degrau o que tivesse para subir de novo.. 

Agora é um período de viragem. Há sempre coisas boas nas mudanças e é nessas períodos que os meus neurónios mais trabalham. Conduzir kms sozinha sempre me fez pensar muito. Estar sozinha é um modus vivendi a que estou muito habituada.. e onde aprendo a cada dia. 

Mudei como pessoa. Vejo hoje tudo com outros olhos. Não me importa o status, o dinheiro, os bens materiais. Sou feliz com leite [sem lactose, por favor], com torradas e com forma de fotografar as coisas simples desta vida. A fotografia salvou-me. E mudou-me para uma pessoa melhor.. 

[Já vos disse que me estão sempre a aparecer corações, no quotidiano, na rua, nos pratos de comida, nas folhas do chão?!]

Bom dia para esse lado🙂

**