My place. 

Penso muitas vezes. 

Penso muitas vezes que é absolutamente fantástico eu ter um lugar só meu. Um lugar onde me dou aos outros, onde desabafo, onde vou relatando o meu dia a dia, onde me mostro de pijama, havaianas ou vestido de noite. Onde coloco o que como, o que visto, o que vejo, o que penso e o que sinto. 

Que dei a conhecer a quem eu quis, que é descoberto, nem sei como, por mulheres que não conheço mas voltam para ler o que escrevo. Que é um canto tão meu, tão meu que não sei o que seria de mim se deixasse de existir.. 

Todos temos as nossas razões. Os nossos motivos para preferir umas plataformas em detrimento doutras, para decidir quem queremos que veja aquilo que se publica ou não, para decidir o que colocar [ou não]. 

Gosto que este canto me acompanhe. Nas longas noites, tantas vezes sem dormir, onde releio tudo o que escrevi, onde me espanta como me mantenho inalterável ainda que tão dura. Onde me emociono à séria quando tenho que ler ou falar do que passei. Porque foi duro. Duríssimo. 

Tive momentos onde achei que não iria conseguir sobreviver. Que regressaria ao meu país numas condições que não me apetece escrever. Não tenho como não me emocionar quando me lembro disto. 

Não tenho como não sorrir, ao ver que sobrevivi. Que estou aqui, qual pedra que pode ser movida, mas que continua pedra. 

Porra, estou viva!!!

**