Zumba. 

Eu sou pessoa de não falhar. Se me comprometo, não falho [a menos que não consiga de todo]. 

Acordei muito mal, mas tinha-me comprometido com umas amigas de ir, com elas, a um evento de Zumba. Ora bem, eu nunca fiz Zumba. Fiz umas aulas no YouTube em casa, mas de forma electrónica a histeria das mulheres não passa pelo ecran, é muito mais controlada.. 

Avisei as amigas que não estava nos meus dias, que o mais certo era nem conseguir fazer nada, quanto mais workshops de salsa, e mais não sei quantas danças latinas e uma megasuperaula de Zumba. Com montes de mulheres. Histéricas, completamente eufóricas, vestidas a preceito para a coisa.. Tal como previa não me aguentei muito [quase nada].. Entrar a matar num evento destes sem ter tido nada de nada não é fácil.. [ainda assim os passos derivam todos do step, da aeróbica que já conhecia e que são muito mais a minha praia]. 

Olhar para as mulheres que fazem Zumba em plena aula deve ser semelhante a assistir a uma palestra da Iurd. Há ali um mundo muito próprio de gritos, gesticulacões, trejeitos que me deixaram completamente “fora” da coisa.. 

Pensei levar a máquina, mas não me apeteceu [ainda bem que não levei], e nem sequer com o telemóvel tirei quase fotos. Ofereceram-me uma água que nem abri, e cheguei a casa com a dor de cabeça [adormecida] a acordar de novo. 

Não falhei ao que me comprometi com as minhas amigas.. Mas caraças que grande “surra”  levei a olhar para aquelas mulheres em histeria.. 

Boa Noite para esse lado. 

**