Da fuga. 

Uma coisa que vejo muito mais agora é televisão. No pouco tempo que tenho, percebi que televisão na minha língua me cativa mais, que tenho mais interesse nas notícias que envolvem o meu país, e que isso até tem a sua lógica. 
Tenho muitos canais de informação [que são sempre os que me interessam mais] e tb muitos de entretenimento mas percebo que o entretenimento tem que ser de excelência para ficar agarrada ao ecrã, caso contrário zapping com ele.. 

Tenho acompanhado o caso do momento, da fuga do suspeito, que anda há 11 dias num jogo de GatoRato que não se percebe como é possível.. Anda já meio Trás os Montes em pânico com esta história e não há meio de se resolver.. A CMtv, que eu assumo que vejo [explicarei noutro post porquê], há seguramente uns 7 dias que diz.. “o cerco está apertado, a captura está por horas”.. Ora bem isto já incomoda, porque não se percebe o que está a falhar aqui, pensava eu que se apanhava um tipo destes enquanto o diabo esfregava um olho.. 

Desde que esta história começou que acompanho os directos. Não só pela informação, mas pelas imagens em si. 

Eu conheço mal aquelas zonas, o norte, aquele centro interior, é-me quase desconhecido. Trabalhei uns 2 fins de semana em Aguiar da Beira, no tempo em que nuns inquéritos estava na linha da frente, da que bate às portas.. Percebi a interioridade daquelas terras.. Das suas fantásticas paisagens e das suas humildes gentes. 

Neste momento, fruto da minha mudança, olho para tudo com outros olhos.. Aquela luz das aldeias de Arouca é fabulosa, aquele nevoeiro, aquele ambiente rural que tanto me apaixona, aquela pedra, aquele granito, aquelas vacas a caminhar pelas aldeias.. Só me apetece fugir e ir para lá fotografar.. 

Dos directos, mais do que aquilo que dizem, é isso que eu vejo, que eu imagino. . Eu por aqueles montes a fotografar.. 

**