Do insurgir. 

Às vezes temos que pôr o dedo na ferida. Às vezes temos que falar com quem de direito e explicar tudo: o que está incorrecto, o que não faz sentido nenhum, o que acontece no terreno, de sol a sol, num bater de portas sem fim que faz com que, quando vivalma responde, as lágrimas quase que escorram num desespero causado por algo que não se explica. 

É muito duro isto. Caramba, eu adoro trabalhar, adoro as rotinas, adoro ser útil, produzir, fazer qualquer coisa, nem sequer olho a rendimentos porque não é isso que me move.. Mas isto atinge todos os limites. Eu ando na rua, a tentar atingir os patamares para uma equipa ganhar a majoracao, tem sido uma luta constante, diária, à hora….e quem está no topo tem que saber disto. 

Queria muito ter tempo para aqui escrever sobre a vitória do Donald Trump. Sobre o que penso sobre tudo isto e por achar honestamente que depois do Obama haveria de ter que ser alguém muito especial para que, no meu caso, fosse bem passada a pasta.. Em como a Hillary não era alternativa nenhuma e o problema foi mesmo esse.. E depois ninguém achava que Trump poderia ganhar, e viu-se o que aconteceu.. 

[Estou sem capacidade. Este tocar de campainhas é humilhante. Depois de tudo o que passei, o meu regresso deveria ser pautado por outras coisas. Mas a vida é assim mesmo].

Boa Tarde. 
[Os pequenos detalhes são o que salva os meus dias] 

**