Das Injustiças desta Vida. 

Acabei de chegar. 

Estou em segurança agora, não tenho mais que conduzir com uma tempestade brutal, nem vou ter que ouvir pessoas mal educadas que podem ter muita formação mas não tem pingo do que mais aprecio na vida:simplicidade. 

Eu sabia que ia ser complicado.. As recusas “não são para meninos” .. Mas daí a dizerem-me na cara, que eu e os da Instituição que represento lhe metem nojo.. Nojo?!  Mas isso é lá termo que se utilize com alguém?!  Uma médica obstetra?!  Eu sou realmente uma pessoa com uma capacidade estonteante.. 

Depois dessa, fui a outra, porta fechada [e trancada na minha cara, comigo a falar].. Desci as escadas e vim.. cabisbaixa, a tentar abrigar-me imaginariamente de uma enorme chuvada. Não sei se tive lágrimas misturadas com a água da chuva que me escorria pela cara.. pelo cabelo..

Nenhum dinheiro, nenhum trabalho, nada, absolutamente nada, deveria permitir que outros nos tratassem desta forma. É muito, muito mau. Nem sei como me sinta. 

Por aqui não foi dia de Outono. Foi dos mais carregados dias de Inverno que já passei no corpo e na alma…

Melhores dias virão..e melhores tempos, e um dia ainda vou rir-me disto que hoje me faz chorar. 

**