Dos sonhos perdidos. 

Tenho ainda muitos sonhos. De uns já desisti, de outros só desisto se algum dia desistir de mim [estão agarrados a mim, cravados em mim como lapas em zona rochosa com efeito vácuo].. 
Tinha o sonho de ser jornalista. Era uma coisa que queria muito. Era a única coisa que queira ser, para ser mais correcta. Consegui que os meus pais [com um esforço tremendo] me proporcionassem a “licenca” para poder vir a sê-lo.. E nunca o fui. Não sou uma pessoa invejosa, tenho muito orgulho nos meus/minhas colegas de curso que diariamente vejo na televisão. Ainda bem que o conseguiram. 

Desconheço o mundo do jornalismo. Os meandros do que lá se passa. Presumo que seja assim como o da moda, como o da publicidade, como o da informação médica.. com um lado obscuro que não me agrada de todo.. Não sou pessoa de me sujeitar ao que seja (que vá contra àquilo que acho plausível) ainda que fale de realização dos meus sonhos.. Sempre assim fui. 

Li agora um texto de uma jornalista da revista Visão (Ana Margarida de Carvalho) que, segundo a sua versão, foi “mandada às couves” de uma forma pouco elegante.. 

Diz ela que o mundo do jornalismo foi onde conheceu “as piores pessoas, as mais cobardes, as mais desleais, as mais mesquinhas, as mais desinteressantes, as mais desonestas, as mais incompetentes” .. Eu honestamente acho mesmo que isto é assim. Porque é um mundo muito apetecível, porque o meu sonho é o sonho de muita gente, que não olha, nem nunca olhou, a meios, a fins, e a soluções para lá chegar e lá ficar. Das amigas e colegas de curso que trabalham em televisão, pelo menos 2 delas disseram-me aí por volta do 2ano da licenciatura que para lá iriam trabalhar. Tiraram um curso para trabalhar num lugar e não o que acontece por norma que é tirar um curso e começar toda uma jornada bem mais complicada [impossível?!] do que estudar.. Que é arranjar um estágio numa redacção sem começar pelo serviço de fotocópias ou entrega de cafés à direcção.. Eu sei de muitas histórias, de modos que estas noticias não me chocam. Apenas me tranquilizam e me alertam. Porque este sonho que eu tinha [como outros] ainda não desisti dele. 

É triste que sejam sete cães a um osso, é triste que tenham as condições que tem (a malta da Cmtv ganha mal mas mal!!) mas muitos tiveram a possibilidade de concretizar esse sonho e não desistiram dele, mesmo com más condições.. 

Porque há sonhos de que não se desiste.. 

Boa Noite para esse lado. 

**

Advertisements