Off to sleep. 

Hoje sim estou moída. Não aguento muito mais, a pequenina M está tratada e levada de volta à rua e eu preciso esticar estas pernas que hoje fizeram mais de 25 kms… [Mas tenho as pernas moídas confesso].

Boa Noite, Especiais. 

**

New record on the way… Yeahhh!! 

Mal de mim se hoje a terminar o trabalho mais cedo não me “esfrangalhava” aqui toda a fazer exercício.. Isto a somar aos 7 kms que fiz a pé na cidade deve dar para hoje comer um prato de massa 🙂 

De manhã não consegui, mas agora foi a rachar. Yeahhh!! Estou pronta para ir para a pista..

Sem filtros, só com muito calor.. Caramba que calor esteve hoje. 

O round de músicas no exercício acabou com esta que adoro:


**

Addiction. 

Porque nem todos os dias são iguais e porque é sempre bom experimentar para se saber dizer como é, hoje vim de autocarro para casa.. Terminado que estava o trabalho a que me tinha proposto, eis que regresso a casa mais cedo.. Fui prevenida e se sabia que iria gastar muitas horas num sítio sem estacionamento, nada melhor que utilizar os transportes públicos. 

Foi a primeira vez em muitos anos, diria décadas, que andei de autocarro [neste trajecto foi a primeira vez] e não me cai nada por isso, até gosto. 

Fui conduzida por um rapaz jovem, não lhe daria mais que 34 anos, apontava para uns 30..

Quando entrei no autocarro ele estava agarrado ao telemóvel, no Facebook. Enquanto lhe pedia o bilhete [tentei dar o desconto da recepção de uma mensagem urgente] quando manteve o telemóvel em equilíbrio conjuntamente com a caixa do dinheiro para me fazer o troço já não achei muito normal. Não sei se me viu, se sequer olhou para mim. 

Fiz seguramente mais de 35 kms [dada a volta enorme que fizemos] e ele apenas largava o telefone por períodos não superiores a 1 min. Via enquanto conduzia, via enquanto parava para largar ou apanhar passageiros, via dentro das localidades e fora. . Uma coisa sem explicação.. 

O que leva uma pessoa a esta obsessão?!? Em que Mundo vivemos nós em que não há sequer compaixão por uma senhora que mal se movia e que com muita dificuldade desceu do autocarro (perguntei eu alto se ela precisava de ajuda, ele nem tirou os olhos do ecrã).. Que Vida tão triste esta, em que um motorista de transporte de passageiros navega no Facebook enquanto realiza o seu trabalho.. Que raio de vício, para quê e porquê? O que daí retiramos? O que nos acrescenta?  Graças a Deus que tenho uma ocupação que me permite estar off, que me permite momentos não dependentes. . Não me revi naquele rapaz porque o nível em que ele se encontra requer tratamento [ele é que não sabe], mas pensei que não posso (de forma alguma) deixar que um ecrã leve a melhor, deixar que o que vejo num ecrã me afecte. Nunca. 

A Vida é o que acontece enquanto ele está a olhar para o telefone.. A Vida fantástica reside naquilo que ele está a perder por não ajudar uma senhora velhota a descer as escadas, por não olhar uma rapariga que lhe diz de antemão nunca ter apanhado o autocarro, e por tantos outros detalhes que ele está a perder.. 

Vale a pena pensar nisto.. 

**

Early lunch. 

Vi estes rebuçados de côcô e pensei que eram uns da nossa infância.. Não eram, infelizmente, nem sequer parecidos.. 

Quem se lembra desses rebuçados? 

Bom almoço para esse lado. 

**

Fail. 

Levantei-me cedo porque queria muito fazer exercício, mas percebo que não consigo, que não dá.. Tenho dores nas pernas, nos músculos e [pelo menos agora de manhã] não me consigo mexer para o fazer.. 

Não sou uma máquina infalível, também tenho muitas alturas em que não me apetece, não consigo, não estou p’rai virada.. Neste momento é uma delas.. [Quando se trabalha a coisa altera-se, porque o tempo, de facto, reduz. E muito]. 

Bom dia para esse lado [mais um dia árduo pela frente?] 

**