Home. 


Vir ao Alentejo, é respirar casa. É viver a infância de novo. É [quase] tudo estar da mesma forma, igual, sem tirar nem por.. 
É entrar no meu quarto e reviver a pequena que ali habitou.. É ter ainda tantas fotos espalhadas, é estar nos cantos onde estudava e onde fazia birras, é o chão da casa ser o mesmo, e os estores tb, ainda que gastos da idade. É ver molduras minhas espalhadas, e encontrar cadernos meus com letras de várias idades.. É um parar de tempo que reconforta mas ao mesmo tempo me avisa de que a minha idade está a passar.. A um ritmo fugaz. 

**

Advertisements