My Details. 

Há muitos detalhes sobre mim que só sabe quem aqui vem. Nunca em outro lugar falei de mim como aqui, nunca em outro lugar abri o meu coração como aqui. 
Quando era pequena ía morrendo no mar. Estive mesmo vai não vai. Mas consegui safar-me com ajuda. Isso não significa dizer que tenha ultrapassado esse trauma. De facto, nunca mais houve uma relação saudável com o mar da minha terra e com a água em geral, sejam rios, barragens, piscinas, lagos. Eu entro, eu nado, mas tenho um medo de morrer.. 

Quando morrem pessoas com frequência por afogamento, fico ainda pior. Tenho pesadelos, e não consigo sequer que no banho me corra água na cara. Ontem tive que superar um medo relacionado com água de rio. Comecei quase que a hiperventilar, branca como a cal, mas respirei fundo e fui. Foi a conquista de algo que, honestamente, achei que não seria capaz de fazer. Hoje não entrei no mar. Estive a ler, estive a inspirar, molhei os pés e regressei. 

Eu achei que este trauma tinha que ver com ondas somente, mas não é. Acontece em todo o lado que envolva água que desconheça; cabeça debaixo de água então é um desafio que só pode durar segundos. Eu mergulho, eu faço tudo, mas tenho tanto, mas tanto medo… 

**

Advertisements

Do ter que vir. 

E às vezes tem mesmo que ser. E quando assim é, há que vir e agarrar na mão. Agarrar na mão, sempre!! 
Está um calor abrasador, mais de 35 graus. Fiz uma surpresa [acho que das primeiras vezes na vida].. Não tenho palavras. 

**