Orgulho no meu País. 

Una noite memorável. A união do povo português. Sem palavras. 

**

Advertisements

Do voluntariado. 

Questões profissionais impedem-me de, pelo menos esta semana, ir de novo fazer voluntariado. Foi a primeira vez que fui assim à descoberta de ajudar uma terra onde nunca tinha ido, onde não conheço ninguém, e onde me mobilizei apenas pelo ajudar. Não fiz referência a isso em lado nenhum, para além daqui, e aos meus pais e uma tia.. Comentei por alto com outras pessoas, mas sem nunca referir como me tocou e como me senti. No dia em que conduzi até lá, àquela hora, a minha mãe estava na fisioterapia e o meu pai estava a fazer uma limpeza preventiva contra incêndios no quintal. Não me atenderam o telefone.. 

Nos dias subsequentes trabalhei em dobro e mesmo assim não chegou para acabar.. Entre shoppings, lojas, saldos e afins percebi que o que é material me diz muito pouco, cada vez menos.. Enquanto vi uns trapos por aqui e por ali, percebi que não tenho qualquer interesse por isso, que preferi mil vezes empilhar salsichas, separar latas de atum das de sardinha, e que tudo nesta vida é tão mas tão relativo.. Vi as pilhas de roupa que lá estão para separar, a ajuda que ha-de ser necessária no terreno.. Imagino que seja necessária muita ajuda, mas também sei que quando lá estive fiquei com a pulga atrás da orelha se seria bem vinda ou não.. Só me apetece ajudar, é algo que me faz sentir útil..e por agora não consigo.. 

** 

Hora de almoço. 

Detesto comer sozinha. Já aqui o escrevi umas mil vezes. Faço tudo por tudo para trabalhar só de manhã, ou só de tarde para ter que evitar este momento. E às vezes não como, mas muitas vezes sinto fraqueza e tenho a mesma sensação de há 20 anos quando tive o acidente, e não gosto, como é óbvio, dessa sensação. 

O sítio onde como tem poucas mesas. Não raro, acontece-me que alguém me peça para se sentar ou eu ter que o fazer também. Já comi com um casal de idosos, já tive um casal a comer comigo e agora tenho uma brasileira a comer à minha frente [que me pediu em brasileiro, claro, “si pudsia sentá”, “Mas claro” respondi eu] .. Ela tem o prato com tantas coisinhas e come com tanto gosto que a olhá-la de soslaio enquanto escrevo, penso que devo ter um problema qualquer com a comida, para quase nada me saber ao que me sabem os figos da Índia.. E ainda tem bolo de bolacha, e eu tb queria bolo de bolacha, mas se comer bolo de bolacha, não faz sentido ir fazer 10 km na elíptica.. E ponho-me a pensar se não seria muito mais justo e prático se eu comesse o bolo de bolacha ao invés de me preocupar com estas coisas.. Palpita-me que sim, que justamente por fazer 10 km poderia comer o bolo, que uma coisa compensa a outra, mas ok..ela começou a comer o bolo e eu salivo como se não houvesse amanhã.  Vejo que se levantou, comeu num ápice e ainda por cima tem o rabo empinado. Porra, vou mas é embora e comprar uma banana ao Jumbo. 

**

Almost end of June. 

Hoje chegam novos projetos e pela primeira vez não tenho os da semana passada terminados.. Mas tudo se faz, e percebi que para se ser voluntário há que fazer alterações na agenda e que isso nos pode atrasar a vida.. Mas foi a minha forma de ajudar de que não me arrependo. 

Bom dia para esse lado

**