Mesmo, mesmo verdade. 

Não gosto de padrões. Gosto de pessoas como elas são. Porque o que [me] interessa não é o aspecto físico mas sim o que vai dentro de cada um. É isso que torna as pessoas especiais, inconfundíveis e verdadeiramente encantadoras. É o serem elas próprias, com os seus sinais, com as suas rugas, com as suas mãos..  

Deixemo-nos de padrões de beleza, de tentar atingir imagens xpto, e voltar porque sim ao peso e medidas de há 30 anos.. Eu sinto essa pressão, juro que sim.. A barreira dos 40 traz-nos a insegurança que nos sussurra ao ouvido “O teu tempo passou”… Como se uma mulher fosse mulher apenas enquanto for possível a sua reprodução, como se o interior nada contasse, e toda a vida vivida.. Há coisas que me causam espécie.. Gostava de dizer a cada um que não é a balança que mede a intensidade das relações, que há coisas que não se explicam e fogem dos padrões, e que portanto a menos que tenham que fazer dieta como eu neste momento por razões de saúde, comam as bolas de Berlim que vos lambunzem dedos e alma e não pretendam obedecer a padrões.. 

Eu tento a cada dia superar-me, já passei a barreira dos 41 e isso mexe comigo que eu sei.. Mas ainda é com chocolate que me vingo, e ainda é [se necessário for] com a sua prata que enxugo as lágrimas.. 

**

Advertisements

Summer behind the clouds.. 

Sempre me disseram para levantar a cabeça e ir à luta.. Que as lágrimas não ajudam em nada e que não temos que macacar naquilo que não controlamos.. 

Já fui e já vim. Já produzi o que consegui e fui capaz. Por detrás das nuvens há Verão, nem que seja nos meus pés.. 

Boa Tarde para esse lado

**

Posso ser pobre mas… 

Fui educada de uma forma muito simples mas penso que o meu discernimento sempre me ajudou muito.. Fui criada e educada com muito pouco.. Lutei a pulso pelo meu futuro. Comecei a trabalhar aos 13 anos nas férias da escola.. Enquanto os meus colegas de escola se banhavam na praia eu carregava baldes de água do mar para os lavagantes do aquário do restaurante de praia onde era empregada de balcão. Trabalhava do meio dia à uma da manhã quase todos os dias e uns 2 por semana das 10 da manhã às 2 da madrugada.  Assim seria até aos 16 onde uma promoção [para mim] me levaria à recepção de um parque de campismo onde estive até começar a trabalhar depois da Universidade.. Lutei a pulso. Nunca fui de férias. Nunca. Fui ao Algarve pela primeira vez já com uns 20 anos. Nunca ofendi ninguém, sempre que algo me magoa(va), posso chorar baba e ranho mas não tenho por hábito guardar rancor ou raiva. Muito menos ofender. 
Não percebo de política [nem quero perceber] mas aí sim é um campo minado onde é comum a prática da ofensa mútua. É agora chegada a altura das campanhas. Interesso-me sobre o que se passa numas 3 cidades, estou a par de tudo, porque assim faço questão. Nalgumas situações fico perplexa com o que leio, desde a necessidade absurda de poder e do regresso às luzes da ribalta, como de pseudo candidatos, que foram talhados para tudo menos para aquilo. 

Ontem disseram-me uma coisa curiosa. Que se estivesse na minha terra, estaria na vida política… [veio a propósito de defender a minha terra com unhas e dentes, do bonito que isso é].. Sou de esquerda mas nem voto. Sou de esquerda, como tenho conta naquele banco. Porque o meu pai assim me disse… E eu posso ser pobre mas aquilo em que pequena, o meu pai acreditava, foi aquilo que me ficou.. 

**

Bom dia, novo dia.. 

Mais um dia… que possamos sempre ter o dom de agradecer cada dia que temos a honra de viver. A vida por vezes parece que custa, mas é o nosso maior dom.. Nunca, em momento algum, a devemos por em causa. É preciosa, é uma mais valia, é algo muito nobre.. Tenho muitos momentos em baixo, mas agradeço cada dia.. É quando estou mais debilitada fisicamente que sei que não há nada mais importante que a saúde, e do que simplesmente viver.

Bom dia, Especiais. 

**