Do estar vivo. 

Hoje em dia é assim. Como se quem não aparece nas redes sociais, esteja morto ou desaparecido. As pessoas partem do pressuposto de que toda a gente tem Internet, em todo o lado. Totalmente falso. 90% das praias da costa alentejana não têm rede móvel, quanto mais Internet móvel. Não se consegue fazer nada com um telefone para além de tirar umas fotos e tratá-las nos programas de tratamento que funcionam offline. 

Não postar nada nas redes sociais não significa que nos estejamos a borrifar seja para o que for.. Significa que não temos essa possibilidade, que muitas vezes não o conseguimos fazer…Deixei de ver constantemente se tenho rede, porque sei que não tenho.. Desisti de tentar abrir uma página que fosse, porque sei que não abre, também quase desisti de pedir passwords de redes Wi-Fi. Não funcionam, não abrem, e nem percebo porquê. 

A Tragédia dos incêndios corrói-me a alma.. Desde há muito.. Ver as imagens na televisão é penoso.. Pensar no que passam aquelas populações, no trabalho árduo daqueles homens, bombeiros voluntários, muitas vezes arriscando as suas vidas.. E custa-me estar de papo para o ar a apanhar sol. Como se não tivesse esse direito. Juro que é o que sinto. Não consigo postar nada mas ainda assim juro que não me apetece postar nada, juro que não..Como se perante tudo isto que se passa no mundo, ataques terroristas, incêndios provocados por almas dementes, nada fizesse grande sentido.. 

[Não estar activo nas redes sociais não quer dizer que esteja morta. Não mesmo. Mas vir aqui é obrigatório para mim].

**

Advertisements