Da precariedade. No Natal. 

Gosto pouco de me queixar vezes sem fim, mas também gosto pouco de engolir sapos nem nada referir sobre aquilo que me incomoda..

Dou o litro em todos os projectos onde trabalho. Quer ganhe uma miséria, quer ganhe 10 vezes mais. Aplico-me de igual forma, tento atingir igualmente os melhores resultados. Gostava que do outro lado houvesse o mesmo empenho.

O ano passado, lembro-me como se fosse hoje, estava doente, terrivelmente cheia de dores com uma infecção que haveria de demorar meses a ir embora. Não tive cabeça para nada, embora tenha [como sempre] tratado de tudo. Não tive cabeça, nem dinheiro. Lembro-me que recebi tardia e vergonhosamente, já a dia 22. Achei vergonhoso.

Este ano terminei todos os meus projectos do ano na primeira semana de Dezembro. Contava que a consoada já pudesse contar com o dinheiro que me pertence e que recebo sempre como se de um favor me estivessem a fazer. Ontem desisti de acreditar que receberia até ao Natal. Coloquei o coração ao largo e deixei andar. Foi ontem também que chegou então o pedido URGENTE para enviar o meu recibo. Sei que estarão fora amanhã e toda a semana que vem.

Custa, Custa muito. Esta precariedade em que não há sequer respeito pelo Natal, pelas pessoas, que apesar de serem precárias na forma como estão ligadas à empresa, dão o tudo, fazem projectos para ontem pedidos em cima do joelho, empenham-se, cumprem, e dão muito mais que o melhor, dão o máximo do máximo. Não consigo conceber como são tratadas as pessoas que trabalham nas condições em que eu trabalho. Que fazem os seus descontos, que pagam os seus próprios seguros de trabalho, que pagam o seu subsídio de alimentação, que suportam as suas baixas, que pagam [do seu bolso] o gasóleo [do seu] carro que usam para trabalhar. Sem qualquer ajuda. Nada. De nada.

Isto revolta-me tanto mas tanto que o meu desabafo aqui serve apenas para aliviar. Apenas para isso.

MERDA.

**

Advertisements

Bom dia. 

Esta é uma época de paz. É uma época para que valores como a Amizade, o Amor, a gratidão por estarmos bem, deve vir ao de cima.

Falta muito pouco para o Natal, não tenho paciência para compras mas adoro esta “desculpa” para poder estar com os meus de novo.

Bom dia para esse lado

**