Reading. 

Sou uma leitora compulsiva, que lê os livros tão devagar, quanto os apreciadores de vinho de Porto degustam os seus cálices nas visitas às caves.. Talvez por ler tão lentamente, por degustar todos os detalhes, me lembre de quase tudo passem os anos que passarem. Com a história desta menina, passa-se exactamente o mesmo. Nunca esquecerei a carta que recebeu, [depois de vendida pelo pai, para se fazer gueixa], onde lhe comunicavam a morte da mãe e do pai. Chorei compulsivamente.  

P.S. 12 é um dos meus números. É onde estou. Agora.

**

30 Anos. 

No dia em que fiz 30 anos chorei baba e ranho, lembro-me como se fosse hoje. Estava loira como nunca tive o cabelo e a apagar as velas do bolo, as lágrimas caiam em cascata para cima do bolo. Tinha sido na altura chefe de secção numa grande superfície, precisamente, na secção da padaria, pastelaria. O estagiário a pasteleiro tinha-me oferecido a delicadeza de me fazer um bolo personalizado com pasta de açúcar [nessa altura era ainda muito rara, cara e pouco comum]. Quando me caíram as lágrimas lembro-me que com a sala cheia de amigos, me faltavam os meus. Os meus pais, a minha sobrinha [na altura com 2 anos], e senti um enorme vazio.. Lembro-me como se fosse hoje.

Um das prendas que recebi nesse dia, foi este livro. Nunca o consegui ler, embora tenha tentado algumas vezes. Não me forço a ler um livro que não me cative nas primeiras linhas. De maneira que deixei o tempo passar.

Passaram 11 anos. Foi agora a oportunidade de o deixar conquistar-me. E estou encantada.

[A vida dá muitas voltas, mas já dizia a minha avó “guardado está o bocado para quem o ha-de comer”..] 

**