S de Sporting. 

Os clubes dizem-me pouco. Não vejo jogos, não sou fanática, não sou sócia, não deixo de fazer nada por um jogo.

Sou do Sporting por acaso. Por influências feitas na adolescência, quando somos mais moldáveis. Dizia que era do Benfica quando era pequena, porque nem sabia o que isso era. Ter um irmão mais velho do Sporting influenciou, obviamente.

O que se vive actualmente no Sporting é tão vergonhoso, tão humilhante, que os 10% que tenho de bateria não chegarão de certeza para dizer o que me vai na alma.

O Bruno de Carvalho é um daqueles seres abomináveis que nunca deveriam ter cargos de chefia, de liderança, quanto mais liderar um clube de futebol. O homem [chamar-lhe assim é ofender os homens] não tem qualquer aptidão para a coisa. Atitudes mesquinhas, de um completo ditador, que lá está, não lhe devia ter sido permitido tirar “a carta das redes sociais”. Uma vergonha, uma humilhação, um desastre na forma como escreve, como se dirige, como se relaciona com os outros, como expõe a sua vida privada, mais os filhos que faz ao ritmo da sua estupidez… 

Quem dera que alguém lhe tirasse o poleiro que ocupa. Que chegasse lá amanhã e tivesse que meter todas as suas tralhas num daqueles sacos do continente de 50 cêntimos, e fosse pregar para uma freguesia bem longe. Aquele pseudo-queafinalfoibluff comunicado de suspensão de 19 jogadores do plantel principal, foi a gota de água. Um clube destes, cuja insígnia carreguei na minha capa de estudante, que é feito de tantos ilustres, tem um parvalhão destes aos comandos?!?

Tenho uma vergonha enorme deste estrupicio. Mesmo. Acima, muito acima dele está o clube. Incontinência verbal é o mal que tem à boca do cérebro. E olhem que eu ligo pouco a esta fantochada.

**

Advertisements