Da Trovoada. 

Há muito, muito, tempo que não via [e ouvia] uma trovoada como a destes dias. Percebemos todos à nossa volta que o clima está a mudar em todo o mundo, que é urgente fazer alguma coisa, não se sabendo bem o quê.

Desde pequena que tenho medo de relâmpagos e trovões; embora não fique histérica como outrora, manifesto um sinal que é claro como água de que me estou a borrar de medo e que é as mãos a transpirar como se estivesse no deserto com 40 graus à sombra.

Hoje o pequeno disse-me que queria ver um relâmpago e que queria que fossemos ao Wikipedia perceber o fenómeno dos trovões e relâmpagos. E assim fizemos, hoje, num dia atípico com trovoada de noite, chuva torrencial de manhã e calor abrasador e mergulhos de piscina à tarde.. As 4 estações numa. E um culminar de dia agarrado a mim a ver raios desenhados nos céus..

A trovoada tem tanto de assustador como de espectacular. Como não ouvi agora os trovões não invoquei a Sta Bárbara que a minha mãe me apresentou era eu mais pequena que o meu. Ainda assim não conseguia [também eu] tirar os olhos do céu… Foi vencido pelo cansaço que o pequeno adormeceu no meu peito, ao som das interjeiccoes de OH e AH de quem vislumbra pela primeira vez a força da Mãe Natureza..

Que seja serena esta noite.

**

Advertisements