Ainda do futebol. 

Às vezes sabe-me mesmo bem não ser uma adepta ferrenha de futebol, daquelas que são sócias, vão ao estádios, pagam as quotas, compram equipamentos, bandeiras e merchandising, pintam as unhas da cor do clube e em dias de jogos metem o cachecol logo de manhã.

Quando o meu filho começou a jogar e eu a ficar nas bancadas, rapidamente percebi que tinha pouco estofo para sofrimentos. Passado algum tempo, deixei de conseguir ouvir os sons incomodados dos outros pais a cada lance falhado do meu pequeno. E afastei-me, pura e simplesmente.

Os jogos da selecção são os únicos que vejo. Uns com maior afinco que outros, confesso. O último jogo de Portugal foi entediante, um jogo sem pés nem cabeça, assim mesmo para o fraquito.

Hoje sabia que o jogo ía ser renhido e por isso foquei-me a 100%. Sofri horrores, despentei-me, fiz penteados, tranças, totós, roí as unhas e enfim, um sofrimento atroz. Gosto do Cristiano quando joga bem e me parece de outro planeta, e quando falha e me parece de carne e osso como nós. Não me parece que tenha feito falta para vermelho. Não creio que um jogador destes cometa num campeonato do mundo, uma falha destas, passível de o levar à expulsão. O lance é duvidoso, mas tal como o árbitro, penso que não para vermelho.

Sofri até ao fim. Mas passámos!! 

[O Bruno de Carvalho vestiu a roupa da fada boa por esta noite, amanhã de manhã logo veste a de bruxa má outra vez… Ai minha vida…]  

Boa Noite, Especiais.

**

Advertisements