Dos dias de descanso. 

Tenho um ritmo completamente diferente quando estou em casa. Faço coisas diferentes, tenho horários diferentes, como coisas diferentes, durmo de forma diferente, faço exercício, fotografo mais. Num passo estou no meu quarto de sempre, com todas as memórias que me viram crescer, das minhas roupas aos meus livros, às minhas fotografias, aos meus apontamentos de escrita. Sempre escrevi qualquer coisa, tendo-o feito muito depois de ter começado a ler compulsivamente. Algumas dessas coisas prefiro não reler [tive períodos complicados na adolescência, que não me apetece reviver] mas noutros, relendo, sou muito do que ainda sou agora..

Revi muita gente e percebi que desta vez estive mesmo muito tempo longe.. A falta que o meu espaço me faz não tem palavras. Cada vez mais tenho a certeza que lá sou mais Eu.

O Alentejo é um vício. Acreditem que sim.

**

Bom dia, Vida. 

O que é bom acaba depressa.. Deu para inspirar o céu azul que por lá há, os pores de sol para lá de fantásticos, as coisas simples que o meu paraíso tem, ver os do meu sangue, correr 2 vezes 5 kms e não sentir as nádegas, as virilhas, e o resto das pernas, comer um pires pequeno de caracóis que me soube pela vida, e ter, juro, muita dificuldade em regressar. Ficava lá já, de férias, durante um mês seguido.

Bom dia para esse lado, aqui, o tempo ainda é de trabalho, e o certo é que tão grata sou por o ter.

**