Bom dia, solinho bom. 

Não tem estado tempo para cachecóis, gorros, quanto mais para luvas e bebidas quentes. Quando olho para o tempo no meu telemóvel, é interminável o número de dias de sol… E isso é mágico e as pessoas no geral nem sabem dar o valor, porque há sempre, porque é assim, porque já nem se valoriza..

Bom dia para esse lado.

**

Isto. 

Sofro desta porra. De ter pavor, quase pânico, a esta época de festas. De comer como uma desalmada, e andar cheia de sentimentos de culpa porque os bombons X e y estavam em cima da mesa e não fui capaz de não os devorar. Por este ano não ter tido forças para enviar mensagens de Natal autonomamente. Nem ter ido ao cabeleireiro, e à esteticista como é meu ritual todos os anos antes do ano acabar. Por andar com uma raiz no cabelo sem madeixas e nem forças para me sentar no cabeleireiro ter tido, logo eu que gostava tanto daquele bocadinho. Foi preciso a minha cabeleireira me ter olhado nos olhos e me “obrigar” a marcar para a semana que vem. Que juntas haveríamos de conseguir encontrar uma solução para me levantar as raízes e o ânimo. E esta porra toda não mata mas mói. A balança já aumentou, e eu sinto tanta falta do ginásio, que não vejo a hora de voltar. Isso e trabalhar.

Sofro de “Holiday blues” e não há medicação para isto..

**