After Christmas. 

Fartos de empanturrar comidas pesadas, bacalhau, carnes puxadas, milhentos doces e afins?! Hoje foi tempo de preparar uns deliciosos wraps de frango.

Refogar quadradinhos de frango com azeite, cebola, alho, cenoura ralada, tomate cherry cortado em metades, mistura de alfaces ou rúcula, e um pouco de molho pesto. Barrar as tortilhas com queijo Filadélfia, rechear, fechar com palitos, colocar queijo ralado e levar ao forno a gratinar.

Super fácil, super delicioso e uma óptima e leve alternativa para o pós-festas.

**

Advertisements

Prendas, Parte III

Há 3 fases nesta saga descomunal que são as prendas de Natal:
1)Pensar e comprar

2)Entregar

3)Trocar

Se é penoso por demais enfrentar as filas para comprar em todos os dias depois de começar Novembro [há pessoas que a 1 Novembro já têm árvore e os presentes todos], é ainda mais penoso enfrentar de novo [e a duplicar] as mesmas filas para fazer as trocas. Para complicar, o período de trocas coincide com o começo de saldos o que torna a coisa hilariante. Tenho que trocar algumas prendas de natal e estou sem capacidade para enfrentar as lojas, a desarrumação e as malhas puxadas nas camisolas, mais o borboto das lãs ainda no expositor. Tenho que respirar fundo e ir. Tentar escolher aquelas horas em que não há ninguém [eu não trabalho em lojas de roupa, salvo raras excepções muito pontuais e sempre em cadeias daquelas que tem mil pessoas por metro quadrado como é o caso da Primark, logo não sei como funcionam estas lojas em termos de tráfego humano nestes períodos de saldos]. Ontem tive uma experiência hilariante ao fazer uma troca [de uma prenda que eu tinha oferecido e me pediram para trocar], e a situação é tão rocambolesca que a estou a contar num outro post que aqui trarei [está em suspenso enquanto escrevo].

Não me apeteciam trocas mas não posso ficar com peças de roupa que não me são confortáveis, já me basta a quantidade enorme de coisas que tenho e que preciso de descambar.. Vamos ver como corre, não tenho pressa.

**

Down. 

Nunca em toda a minha vida, passei uma época de Natal e festas tão perdida, tão triste, tão sem ideia de a quantas ando, sem vontade de nada fazer, nada fotografar, nada partilhar, nada escrever. Nunca me senti assim, não sou eu que aqui ando. Peço desculpa a quem me lê pela minha ausência, pelas minhas brancas. Desculpem. Mesmo.

**