Starting the Year.

Nem sempre os anos são como desejamos. Este ano que encerrou marcou-me profundamente. Vi a morte a milímetros, e nem sabia (durante minutos) se tinha levado com ela o meu filho. Isto marcou-me profunda e eternamente.

Em muitas ocasiões durante o ano, não fui capaz de ligar a pessoas que me são queridas e especiais, pura e simplesmente porque me emociono sempre. E choro e revivo tudo e porque ninguém imagina como precisei de amparo durante tantas horas. Isto faz com que muitas vezes, em ocasiões especiais, nem sejam precisas muitas palavras. Tentei sempre ao longo do ano ser forte perante todas as circunstâncias, não deixar de ser a pessoa de sempre, com um sorriso sempre ali pronto. Houve alturas em que me tornei mais fria, mas será próprio de quem viveu o que vivi, e o que, de uma forma ou de outra, ainda vivo diariamente.

Por isso este ano fiz uma coisa que nunca tinha feito, engoli as 12 passas de uma só vez e só pedi SAÚDE. É tudo o que é preciso, apenas e só. E isto é mesmo verdade, não é apenas um clichê. É assim mesmo.

O ano que começa agora tem que me ser colorido, mas eu sei que tenho que ser eu a por as cores, que elas não aparecem sozinhas.

(Tenho um telemóvel novo e como com tudo o que é novo, ando às aranhas, já tenho a aplicação do blog instalada e finalmente, começam agora os posts do ano).

Obrigada a quem me lê, um fantástico 2019 para esse lado.

**

Advertisements

**

**