Auschwitz.74.

Faz hoje 74 anos que se deu a libertação do campo de concentração de Auschwitz, pelo exército soviético.

Juro que sempre foi um tema que me deu arrepios. Daqueles temas que preferimos não ouvir uma palavra, uma imagem, um apontamento, nada. Tenho 42 anos e nunca soube quase nada sobre isto para além daquilo que todos sabemos e que alguns (ainda hoje) teimam em não acreditar que aconteceu mesmo. Sabia que se algum dia quisesse ler sobre o assunto, ver algum filme relacionado, o choque me iria ser forte. Nunca quis ler nada, ver nada. Até mesmo as fotos eu ignorava, fazia de conta, passava por cima.

Andava há muito tempo para ler o livro que ando a ler. Senti que teria uma abordagem diferente e que conseguiria. E assim está a ser. É forte, dá uma visão muito real [ mesmo real] do que lá se passou com descrições que nos fazem olhar para tudo de forma diferente. Tenho que parar muitas vezes de ler e inspirar fundo.

Não há coincidências e hoje vivo esta efeméride de uma outra forma. Com o olhar de quem atingiu finalmente a maturidade para perceber o que lá se passou. Nunca olharei para tudo com o mesmo olhar. Nunca olharei para a tatuagem que pretend(ia) fazer da mesma forma.

**

Strangers hearts on me.

E quando fazes uma queimadura no forno do fogão e reparas que ficou em forma de coração?!?! O que quer isto dizer, porque me acontece?! O mais provável é que não queira dizer nada, e o que é certo é que dói para caraças.

[Se estiverem de óculos, nunca abram um forno a 200 graus e agarrem na travessa. Pode acontecer o que me aconteceu a mim].

**

As oscilações de um blog.

Hoje dei por mim a analisar os números do meu blog. Nunca foram os números aquilo que me prendeu a este canto, a este meu espaço tão especial. Foi sempre a minha forma de dar o meu ponto de vista, de dar o meu olhar, a minha opinião sobre isto ou sobre aquilo.

Nunca escrevi sofre figuras imaginárias, sobre personagens criados na minha cabeça. Falei sempre do mundo real, daquilo que eu vejo, do que me vou apercebendo, do que vou sentindo. Nunca soube como angariei leitores, mas sempre soube que havia muita coisa que lia por aí que me era familiar, com a qual me identificava.

Não escrevo a metro só por escrever. Não gosto de não vir mas se tiver que ser tem que ser. Não gosto de não escrever mas se não conseguir nada posso fazer. Gostava de bater sempre o mês anterior mas não consigo. Porque não é só o tempo, é muitas vezes a cabeça que não ajuda.

Sei o que me aumenta as visualizações, e acreditem que não é escrever sobre mim ou sobre o que sinto. É escrever sobre aquilo que os outros procuram para ler. Eu faço o mesmo, porque haveriam os outros de ser diferentes?! Assim, tomei a liberdade, de, aos poucos, ir introduzindo novos assuntos, novos temas, novas abordagens. Porque as interpretações do que aqui se lê sobre mim são muitas. E variadas. E diferentes. E este blog é sobre o que sinto, sobre o que vejo, sobre o que vou vivendo, mas também sobre outras coisas, que dentro de uma vida cabe muita, muita coisa.

Sou muito mais para além do que vejo e do que sinto. E, como é óbvio, nem sempre a torrada sai perfeita.

**

Domingo.

Já choveu, já faz sol, já subiu a temperatura, já faz frio de novo..Estamos em Janeiro, é o tempo próprio desta época.

Domingos é sempre aquele dia..enfim..

Bom dia

**