Das férias..

Há muita gente que leva o ano inteiro a sonhar com as férias. Eu, sonho com o dia em que volto a ter trabalho de novo. Sei que preciso descansar, retemperar energias, ganhar fôlego para o Inverno puxado que aí vem, mas demasiado tempo livre e se não tiver um propósito deixa-me a cabeça cheia de pensamentos, alguns deles, já se sabe, menos bons.

Não dá para ir à piscina porque está um vento gelado que me impede de andar de calções quanto mais de roupa de banho, não dá para ir à praia pelas mesmas razões, não dá para comer na varanda, para usar, finalmente, as roupas de Verão, e uma pessoa que se atreva a andar de havaianas está sujeita a apanhar um resfriado (ontem apanhei tanto frio em 10 minutos que cheguei a casa e precisei de um banho quente). O tempo não ajuda e vá o meu estado de espírito também não.

Resta o poder dos livros, esses que tanto ajudam, em alturas com tempo deste, e em alturas com pensamentos destes.

Tenho lido livro atrás de livro mas também tenho começado muitos que não consigo ler. Nunca me forço a ler um livro. Se me cativa tem que ser na primeira página (diria que no primeiro parágrafo), nunca leio com enfado à espera que o livro me surpreenda. Raramente compro livros agora porque já não tenho espaço para eles e porque sempre fui a bibliotecas públicas e li grandes sucessos desta forma. Para mim é fácil estar sempre a trocar de livros porque há milhares na biblioteca onde vou..

Autores que nunca me desiludem? Haruki Murakami, que reconheceria a escrita numa prova cega, tal o número de obras que dele já li. É a minha escolha do momento, para conseguir esquecer-me da aragem gelada que me perspassa a janela..

Verão é ler. Para mim, Verão é mesmo ler.

**