Do ter que ser.

As pessoas podem até pensar que eu estou super bem, a levar a vida com o empenho e a frescura que o meu Pai quereria.. Só que não.

Tenho momentos muito maus, uma saudade imensa e eterna e quase, mesmo quase, todos os dias choro pelo meu Pai. Não choro horas, nem sequer choro durante muito tempo, mas o saber que nunca mais lhe ouvirei a voz, aquelas gargalhadas de quando lhe contava as peripécias do meu dia a dia (e contava diariamente), os conselhos, o porto seguro com que podia contar nos desaires desta vida, enfim, todo esse para sempre neste caso é muito tempo, é tempo demais. Tenho muitos momentos guardados, o último ano foi muito intenso e quase que, a cada dia, faço o paralelo com o ano passado.

Tenho tentado todos os dias ser forte. Em muitos momentos, consigo. Noutros disfarço bem e noutros pura e simplesmente isolo-me e ninguém, mesmo ninguém, sabe o que vai dentro de mim.

Boa Noite

**