Do primeiro filme❤️

Nunca gostei do dia de S. Valentim. Acho-o um dia puramente comercial. E forçado, e artificial. E isso faz-me logo fugir. Mas gosto (gosto mesmo muito) de, nestes dias, observar o que levam os homens nas mãos, o que compram os homens no supermercado. De que histórias são feitas aquelas compras, aqueles presentes (muitas vezes tão pouco originais), aqueles mimos. Sei que muitas mulheres não são como eu e ligam, ligam muito a isso.

Hoje tinha um agendamento por volta das 14.30h. Ao lado do café onde iria fazer um questionário/entrevista estava uma pequena loja de aldeia daquelas lojas que vendem tudo, são mercearia, pronto a vestir, sapataria. Na montra, clara alusão ao dia com uma lingerie provocante vermelha (nunca na vida conseguirei vestir lingerie vermelha) e umas canecas cheias de corações junto a uns boxers pretos e vermelhos. Faço tempo porque a pessoa que vou entrevistar está atrasada. Fico na rua observando quem passa. Do nada, de dentro da loja, surge um rapaz, entre os 20,30 anos de sorriso tímido no rosto. Não sorria para mim, sorria para ele, para o imaginário, para o universo. Chega junto ao carro. Um carro com uns 20, 25 anos (lembro-me deste modelo e ainda andava no liceu). Nas mãos leva um pacote de pipocas e duas tabletes de chocolate. Eu não faço ideia da história mas posso imaginar. Posso até tentar adivinhar o que estava subjacente àquelas tabletes e àquele pacote de pipocas. Terá sido o primeiro filme que viram juntos?! Estarão juntos há tão pouco tempo que é mesmo o primeiro filme?! Quão romântico e especial pode ser receber duas tabletes no dia dos namorados?!

As pessoas complicam o simples. Como se o simples já não chegasse, como se o simples fosse de menos. E não é. O simples é o que marca, o simples é o que encanta.

Gosto pouco do S. Valentim mas gosto de saber que um rapaz parou na mercearia da aldeia e foi comprar um pacote de pipocas e duas tabletes. Não levava lingerie parola ou rosas vermelhas daquelas compradas à pressão. Levava só pipocas e duas tabletes. Porque o filme, esse, para ele, ainda nem tinha começado.

**