Do exercício.

Das únicas coisas que me têm salvado nesta quarentena é a quantidade de exercício físico que tenho feito em casa. Em frente à televisão, no Youtube.

Há muitos anos, era o pequeno bem pequeno, fazia aulas de step com uma rapariga no Youtube, rapariga essa com que haveria de vir a trocar muitas mensagens. Nunca perdemos o contacto, ela na altura solteira, hoje casada com dois filhos pequenos. Ontem fiz uma aula dela de GAP (Glúteos, Abdominais e Pernas) que é assim aquele tipo de exercícios para matar, mas que resultam quase na hora. Foram 50 minutos muito puxados mas que souberam muito bem. Para quem quiser experimentar, aqui vai a sugestão (as imagens não têm definição porque são antigas mas dá para fazer):

Neste período de quarentena interessei-me muito sobre o que poderia fazer de exercício em casa, sem ser só na bicicleta elíptica. Há inúmeras opções, inúmeros ginásios que adaptaram aulas para o online e que têm inclusive um mapa de aulas diferentes a cada hora do dia. Não há cá desculpas.

Encontrei no Youtube uma conta que se chama “Exercício em casa” que junta uma série de professores brasileiros, 2 mulheres pelo menos e um homem. São aulas não muito longas, algumas com temporizador no écran e que são muito agradáveis de fazer. Uma das que fiz primeiro (mas já fiz várias) foi esta que se segue.

Já esta semana descobri a Tabata, um tipo de treino com o claro objectivo de perder gordura e que é um treino intervalado, basicamente treinamos em alta intensidade durante 20 segundos, descansamos 10 segundos e repetimos o processo 8 vezes (com exercícios diferentes).
O método Tabata é altamente regenerador porque nos faz gastar imensas calorias em pouco tempo (por norma as rondas duram uns 7, 8 minutos). Há imensas opções na Internet, no Youtube, no Instagram. Deixo aqui o link da nórdica com que ando a fazer estas aulas:

Há inúmeras opções, para quem tiver um bocadinho de tempo para dedicar ao desporto e ao exercício, aqui estão algumas ideias.

**