Bom dia, sol 

Hoje falhei a corrida de manhã mas ainda não desisti dela. Ontem comi 3 figos e sei que comer 3 figos de figueira, causa uma chatice entre os meus intestinos e as minhas vontades. Mas isto não me vai impedir de correr.

Bom dia para esse lado

**

Advertisements

Run, Run, Run

Hoje foi dia de acordar mais cedo, dar uns laços nas sapatilhas, agarrar na Especial que aqui tenho ao lado e ir correr..Que maravilha, que sensação boa de correr e ir desembocar no mar num romper de manhã ainda que cinzento. Praia ainda por “abrir” sendo os pescadores a única presença vinda da noite. Hum isto devia ser todos os dias, isso é que era.

**

Time to read. 

Verão é também muito tempo de ler, de ir à minha biblioteca e poder estrear livros novinhos em folha [ser a primeira pessoa a ler um livro de uma biblioteca pública é um grande privilégio], tempo de pausas, de ficar estendida na relva, e de ir captando pequeno detalhes..

O Verão é maravilhoso.

**

O poder da Natureza. 

Já aqui disse inúmeras vezes que a Natureza é soberana e que nos está a dar avisos bastante amiúde sobre alterações que devemos fazer. As estações do ano estão todas baralhadas, o Verão é estranho, os Outonos são quentes e os Invernos tb, as Primaveras são chuvosas a mais da conta e assim estamos neste vai não vai que baralha a Natureza e os seus ciclos.

Agosto é sempre tempo de figos da minha figueira e de valados cheios de figos da Índia. Em 40 anos não me lembro de ter falhado uma primeira quinzena de Agosto sem taças de figos da Índia ao pequeno almoço e lanche. Este ano não há figos!! Juro que isto me está a deixar de rastos, porque o momento alto das férias para mim são a presença daquilo que mais gosto de comer na vida, os figos da Índia. A figueira está carregada mas há poucos figos prontos a comer. A época deles costuma ser meados de Julho. Isto são avisos. É urgente fazermos algo pelo clima, mas nem sei bem que papel cada um de nós tem nisto.

Hoje a minha mãe tentou fazer um milagre e desbravou um valado. Tirou estes dois pequenos que devorei em meio segundo. Tão saborosos, tão no ponto, mas tão a meio de criar, tão minúsculos. 

O que se passa com este Verão?!

**